Entenda o que o gás natural representa para o mercado brasileiro

Produção nacional tem expectativa de dobrar com o pré-sal

gas natural

O governo anunciou   em junho passado as diretrizes para o novo mercado de gás natural, quebrando o monopólio da Petrobras, melhorando a regulamentação dos transportes e incentivando a modernização da regulamentação da distribuição. O objetivo da medida é reduzir drasticamente o preço da energia e o custo da indústria no país.

O gás natural é um combustível fóssil não renovável, mas com baixo impacto ambiental, por emitir menos poluentes que o carvão ou o petróleo, por exemplo. Encontrados em depósitos ou depósitos subterrâneos, as reservas de gás natural são geralmente associadas ao petróleo, pois as duas substâncias passam por um processo de transformação semelhante e se acumulam no mesmo tipo de solo.

Produção vai dobrar

Com o pré-sal e o leilão do superávit de cessão onerosa, a Secretaria de Avaliação, Planejamento, Energia e Loteria (Secap) do Ministério da Economia deve dobrar a produção de gás no Brasil nos próximos dez anos. Atualmente, representa 13% da matriz energética brasileira.

Diferentemente do gás de cozinha, o gás natural é considerado o gás da indústria uma vez que, depois de tratado e processado, possui alto conteúdo energético, sendo muito utilizado tanto para geração de energia quanto para matéria-prima nos mais diversos segmentos industriais, como o produção de alimentos, vidro, plástico, fertilizantes, produtos de beleza e materiais de construção, por exemplo.

Menor Custo

Portanto, a redução do preço do gás natural, através de maior competitividade no setor, tem o potencial de reduzir significativamente o custo do setor industrial no país, tornando nossa indústria muito mais competitiva.

Além disso, como cerca de 20% do gás de cozinha (GLP) é proveniente do gás natural, a medida também tem potencial para atingir o gás de cozinha, reduzindo o valor do gás do cilindro.