Zépovotrouxa iria comer a própria carne (Ed. 26/06)

 

O governo tentou achacar o povo com a proposta de roubar dinheiro do FGTS. Desitiu, mas fiquemos atentos porque irá tentar outra coisa. A estupidez é uma medida que indica o desespero do governo.

Despedido sem justa causa não receberia os 40% do saldo de sua conta no FGTS. O dinheiro seria usado para pagar seu seguro desemprego. “Dane-se” diz o governo do Estado brasileiro. Zépovotrouxa iria pra casa cabisbaixo angustiado com a realidade de que não poderia usar o dinheiro para pagar algumas dívidas.
Zépovotrouxa iria comer a própria carne, servido com o fel de seu fígado, enquanto o governo do Estado brasileiro iria anunciar que conseguiu reduzir o déficit fiscal usando o tutano dos ossos da mulher e dos filhos de Zépovotrouxa.

O que estamos descobrindo é que todo o orçamento do que se chama de União foi roubado e, agora, para anunciar que não aumentará impostos, quer usar a carne de Zépovotrouxa que lhe seria jogada como se joga carne em jaula de leões.

Não sobrará pedra sobre pedra desse governo do Estado brasileiro. A coisa caminha para se ter, em 2018, 15 milhões de desempregados que se somarão aos 22 milhões que o que conseguem são subempregos, que não recolhem a contribuição para a previdência social e muito menos o FTGS.

O governo do Estado brasileiro não terá como “fazer caixa” reduzindo ano a ano a sua capacidade de arrecadação. Não porque Zépovotrouxa irá sonegar pagamento de imposto, mas porque Zépovotrouxa não tem renda sobre a qual incidiria imposto.

A taxa de inflação tende para zero e o governo do Estado brasileiro irá se vangloriar de que tem a economia sob controle.

Somos uma Nação, conjunto de indivíduos que se sentem Brasil, um amontoado de Zépovotrouxas, desnorteados, comendo a própria carne.

Auschwitz é aqui.

Ernesto Lindgren
CIDADE ONLINE
25/06/2017

.

COMPARTILHAR