UVA lança Grupo de Observadores de Aves

Formigueiro do Litoral, ave endêmica da Restinga ainda pode ser observada em Cabo Frio


Apaixonados por aves de toda a Região dos Lagos podem participar do Grupo

Um passeio ecológico, em uma área de vegetação nativa de Cabo Frio, foi a atividade escolhida para dar início aos trabalhos do Grupo de Observadores de Aves da Região dos Lagos, que contará com o suporte técnico do campus da Universidade Veiga de Almeida. O passeio acontece na próxima semana, dia 5 de setembro (sábado), saindo da Universidade, às 7h30. Munidos de máquinas fotográficas, binóculos, curiosidade e muita paciência, os birdwatchers (observadores de aves) seguem em busca das diversas espécies que habitam ou frequentam a Região dos Lagos.

O professor Eduardo Pimenta, que está à frente da atividade, lembra que a observação de pássaros, conhecida como birdwatching, pode ser praticada por pessoas de todas as idades e é uma verdadeira aula ao ar livre. “Além de proporcionar um contato maior com a natureza, a atividade nos leva a descobrir espécies de pássaros que ignorávamos, assim como plantas, insetos e outros animais da fauna local”, ressalta.

{loadposition tague}

Professor Pimenta destaca que o Grupo não está interessado apenas em esporte e lazer, mas em produzir ciência. Por meio do método da Pesquisa-Ação, que adota uma metodologia participativa, os resultados das observações poderão ser analisados no Laboratório de Avaliação de Recursos Vivos dos cursos de Gestão Ambiental e de Engenharia Ambiental da UVA. O Grupo contará, ainda, com o suporte do Jornal Náutico Convés, que destaca em todas as edições exemplares da avifauna regional.

O Grupo é aberto a birdwatchers de toda a Região. Para participar das atividades de campo, é importante observar algumas regras: usar roupas de cores discretas, protetor solar e boné; levar água; andar devagar; não conversar ou fazer barulho, caso haja necessidade de se comunicar, o tom de voz deve ser baixo para não espantar as aves; olhar para baixo, a fim de evitar quedas e outros acidentes; levar binóculos e máquina fotográfica; e, acima de tudo, respeitar a distância de conforto de cada espécie e seu habitat.

Pesquisa
Em 2013, sob a orientação do professor Eduardo Pimenta, os então estudantes Celeste Fernandes (Engenharia Ambiental) e David Steinwender (Gestão Ambiental) participaram de um projeto de iniciação científica com o objetivo de identificar as aves e nichos ecológicos que ocorriam no entorno do campus Cabo Frio. Baseados na Lista de Aves do Brasil, do Comitê Brasileiro de Registro Ornitólogo, os jovens pesquisadores registraram e identificaram mais de 60 espécies, entre eles o formigueiro-do-litoral (Formicivora littoralis), ameaçado de extinção.

Fonte: Andréa Luiza Collet

{loadposition facebook}

 

 

COMPARTILHAR