Um fim melancólico: sabe com quem está falando?

Porque a pressa? Uma mentira, para ser sustentada, precisa de muitas outras. Na manhã de 17/03/2016 Dona Dilma exibiu o “Termo de Posse” que o “Bessias” levou para que Lula o assinasse, no dia anterior. Não havia sido assinado por ela.

Dilma: Alô. Lula: Alô. Dilma: Lula, deixa eu te falar uma coisa; Lula: Fala querida. Ahn. Dilma: Seguinte, eu tô mandando o “Bessias” junto com o papel pra gente ter ele, e só usa em caso de necessidade que é o Termo de Posse, tá? Etc.”.

Desconsidere-se a legalidade dos fatos. Pergunta-se: se Lula estivesse num passeio turístico no Alasca, Dona Dilma enviaria o “Bessias” para levar o Termo de Posse para que Lula o usasse em “caso de necessidade”? Dona Dilma sabia, e não há como negar isso, que o documento não tinha validade sem sua assinatura.

Enviando a Lula um documento sem valor, teria sido a “necessidade’ a de a Lula proporcionar a oportunidade de blefar caso a polícia batesse à sua porta, confrontando-a? “Sabe com quem está falando?; sou Ministro de Estado e só posso ser preso por ordem do Supremo Tribunal Federal”.

O que Dona Dilma disse até agora seriam mentiras proferidas para sustentar a mentira inicial.

Estamos vivendo o início do fim melancólico do mandato de Dilma Roussef. Em breve ou ao longo de penosos dois anos e nove meses.

Ernesto Lindgren
CIDADE ONLINE
17/03/2016

COMPARTILHAR