Trump: consequência de uma personalidade narcisista, talvez bipolar

Uma sugestão: deporte todos os cientistas não-americanos, que desenvolvem conhecimento novo e permitem o surgimentos de novas tecnologia, e vamos ver onde os EU estarão em 2021. Antes de tudo Trump é um boçal.

130 milhões de cidadãos de sete países tiveram seus direitos garantidos pela Declaração Universal dos Direitos Humanos desrespeitados, pisados, sobre eles despejado o escarro de um canalha, um velho rabugento, presidente dos Estados Unidos.

Não há garantia de que essa agressão não será de alguma maneira, estendida a todos os países do mundo.

Os governos de todos os países que abrigam uma população de mais de sete bilhões de pessoas, não podem ignorar essa prepotência. De fato, deveria ser discutida na ONU a expulsão da representação dos Estados Unidos daquela organização e de todas as demais organizações internacionais enquanto os cidadãos norte-americanos não se conscientizarem de que elegeram como presidente um homem que, tudo indica, aparenta sofrer do distúrbio conhecido como “personalidade narcisista”.

Que o Congresso norte-americano inicie de imediato o processo de impedimento de Donald J. Trump antes que venha a cometer outros desatinos que resultem na desestabilização do já frágil equilíbrio da ordem internacional.

Ernesto Lindgren
Residente legal nos Estados Unidos (Fev/1958-Jan/1972)
CIDADE ONLINE
28/01/2016

COMPARTILHAR