Tao Te ching

 Capítulo 1

O Tao que pode ser ensinado
não é o Tao eterno.
O nome que pode ser falado
não é o nome eterno.
O inominável é o eternamente real.
Nomear é a origem
de todas as coisas separadas.
Livre do desejo
você percebe o mistério.
Preso no desejo
você vê apenas as manifestações.
No entanto, mistério e manifestação
surgem da mesma fonte.
Essa fonte é chamada escuridão.
Escuridão dentro da escuridão.
O portal para todo o entendimento.

Capítulo 2
Quando as pessoas vêem algo como belo,
outras coisas se tornam feias.
Quando as pessoas vêem algo como bem,
outras coisas se tornam más.
Ser e não ser criam um ao outro.
Difícil e fácil apóiam um ao outro.
Longo e curto definem um ao outro.
Alto e baixo dependem um do outro.
Antes e depois seguem um ao outro.
Por isso o sábio age sem nada fazer
e ensina sem nada dizer
As coisas surgem e Ele permite que venham,
as coisas desparecem e Ele as deixa ir.
Ele tem mas não possui
e age sem expectativas,
Quando seu trabalho está feito,
Ele o esquece.
E por isso ele dura para sempre.

Capítulo 3
Se você superestima os grandes homens,
o povo fica sem poder.
Se alguem supervaloriza as posses,
o povo começa a roubar.
O sábio guia
esvaziando as mentes das pessoas
e preenchendo seus âmagos.
Enfraquecendo suas ambições
e fortalecendo sua determinação.
Ele ajuda as pessoas a esquecer
tudo que sabem, tudo que desejam
e confunde
aqueles que pensam que sabem.
Pratique o “não fazer”
e tudo irá para o seu devido lugar.

CAPÍTULO 4
O Tao é como um poço:
usado mas nunca esgotado.
É como o vazio eterno
cheio de infinitas possibilidades.
Ele está escondido mas sempre presente.
Eu não sei quem lhe deu à luz.
É mais velho que Deus.

CAPÍTULO 5
O Tao não toma partidos,
Ele pari tanto o bom como o mau.
O sábio não toma partidos,
ele acolhe tanto santos como pecadores.
O Tao é como um fole de abanar,
vazio mas infinitamente capaz.
Quanto mais você o usa,
mais ele produz.
Quanto mais fala sobre ele,
menos o compreende.
Mantenha-se no centro.

CAPÍTULO 6
O Tao é chamado de Grande Mãe:
Vazio e ainda assim inesgotável.
Ela dá a luz a mundos infinitos
e está está sempre presente
dentro de você.
Você pode usa-lo como quiser.

CAPÍTULO 7
O Tao é infinito, eterno.
Por que ele é eterno?
Ele nunca nasceu;
assim nunca pode morrer.
Por que ele é infinito?
ele não tem desejos para si próprio;
assim está presente para todos os seres.
O sábio fica para trás;
é por isso que ele está à frente.
Ele é desapegado de todas as coisas;
por isso ele é um com elas.
Porque ele desistiu de si mesmo,
está perfeitamente preenchido.

CAPÍTULO 8
A bondade suprema é como a água,
que nutre todas as coisas sem sequer tentar.
Alegra-se com os lugares baixos
que as pessoas desprezam.
Assim é o Tao.
Habitando, viva próximo a terra.
Pensando, mantenha-se no simples.
Em conflito, seja justo e generoso.
Chefiando, não tente controlar.
No trabalho, faça o que você gosta.
Na vida familiar,
esteja completamente presente.
Quando você estiver feliz
de ser simplesmente você mesmo
e não comparar ou competir,
todos o respeitarão.

CAPÍTULO 9
Encha sua tijela até a borda
e ela transbordará.
Continue a afiar sua faca
e ela ficará cega.
Persiga o dinheiro e a segurança
e seu coração nunca relaxará.
Preocupe-se com a aprovação dos outros
e você será prisoneiro deles.
Faça o seu trabalho, depois se afaste dele.
Esse é o único caminho para a serenidade.

CAPÍTULO 10
Você pode dissuadir sua mente de vaguear
e permanecer na Unidade original?
Você pode fazer seu corpo
tornar-se tenro
como o de um recém nascido?
Você pode clarear sua visão interior
até que não veja nada alem da Luz ?
Você pode amar as pessoas
e conduzi-las sem impor sua vontade?
Você pode lidar com os assuntos mais vitais
deixando os eventos seguirem seu curso?
Você pode se afastar da sua própria mente
e assim compreender todas as coisas?
Parir e nutrir,
ter sem possuir,
agir sem expectativas,
conduzir e não tentar controlar:
Essa é a suprema virtude.

CAPÍTULO 11
Nós colocamos raios juntos em uma roda
mas é o eixo do centro
que faz a a carroça andar.
Nós moldamos argila em forma de pote,
mas é o vazio dentro dele
que armazena aquilo que quisermos.
Nós serramos madeira para uma casa
mas é o espaço interno
que a faz habitável.
Nos trabalhamos com o ser,
mas “não ser” é o que utilizamos.

CAPÍTULO 12
Cores cegam os olhos.
Sons ensurdecem os ouvidos.
Sabores amordecem o paladar.
Pensamentos debilitam a mente.
Anseios enfraquecem o coração.
O Sábio observa o mundo
mas confia na sua visão interna.
Ele permitem que as coisas venham e vão.
Seu coração está aberto como o céu.

CAPÍTULO 13
Sucesso é tão perigoso quanto o fracasso.
Esperança é tão assustadora quanto o medo.
O que significa: sucesso é tão perigoso
quanto o fracasso?
Se você subir em uma escada ou descer dela,
sua posição será instável.
Quando permanece com os dois pés no chão,
você sempre manterá seu equilíbrio.
O que significa: esperança é tão assustadora quanto o medo?
Esperança e medo são ambos fantasmas
que surgem do pensar do ego.
Quando não vemos o ego como eu,
o que você tem a temer ?
Veja o mundo como seu eu.
Tenha fé em como as coisas são.
Ame o mundo como seu eu.
Assim você pode cuidar de todas as coisas.

CAPÍTULO 14
Olhe e não poderá ver.
Escute e não conseguirá ouvir.
Pegue e não poderá agarrar .
Acima não é claro.
Abaixo não é escuro.
O Tao, Invisível e inominável, retorna ao reino do nada.
Forma que inclui todas as formas,
imagem invisível,
sutil, além de qualquer concepção.
Aproxime-se dele e não há início.
Siga-o e não haverá fim.
Você não pode conhece-lo,
mas pode sê-lo,
facilmente em sua própria vida.
Apenas perceba de onde você veio:
essa é a essência da sabedoria.

CAPÍTULO 15
Os antigos mestres
eram profundos e estáveis.
sua sabedoria era incompreensível,
não há meio de descrevê-la,
tudo que se pode descrever é sua aparência.
Eram cuidadosos como alguem que cruza
Uma corrente congelante.
Alertas como um guerreiro em território inimigo.
Cautelosos com hospedes.
Fluidos como gelo derretendo.
Formatáveis como um bloco de madeira.
Receptíveis como um vale.
Claros como um copo de água.
Você tem a paciência para esperar
até que sua lama assente
e a água esteja clara ?
Você pode ficar imóvel
até que a ação correta surja por si mesma ?
O Sábio não busca contentamentos.
Sem buscar e sem esperar,
ele está presente
e pode dar boas vindas a todas as coisas.

CAPÍTULO 16
Esvazie sua mente de todo pensamento.
Permita que seu coração fique em paz.
Olhe a agitação dos seres,
mas contemple o seu retorno.
Cada diferente ser do Universo
retorna à fonte comum.
E retornar à fonte é serenidade.
Se você não percebe a fonte,
tropeça na confusão e sofrimento.
Quando você percebe de onde se originou,
torna-se naturalmente tolerante,
desinteressado, divertido,
acolhedor como uma avó,
digno como um Rei.
Imerso na busca do Tao,
você pode lidar com qualquer coisa
que que a vida lhe trouxer
e quando a morte vem, você está pronto.

CAPÍTULO 17
Quando o Sábio governa,
o povo mal sabe que ele existe.
O mais próximo disso é ser um líder amado.
Depois é ser temido.
O pior é aquele que é desprezado.
Se não confia nas pessoas
você as torna indignas de confiança.
O Sábio não fala ele age.
Quando seu trabalho está pronto,
o povo diz, “Incrível,
nos fizemos tudo isso sozinhos!”

CAPÍTULO 18
Quando o grande Tao é esquecido,
bondade e piedade aparecem.
Quando a inteligencia do corpo declina,
esperteza e conhecimento avançam.
Quando não há paz na família,
surge a submissão filial.
Quando um país cai no caos
nasce o patriotismo.

CAPÍTULO 19
Jogue fora a santidade e a erudição
e o povo será cem vezes mais feliz.
Jogue fora a moralidade e a justiça
e o povo fará a coisa certa.
Jogue fora os negócios e o lucro
e não haverá nenhum ladrão.
Se esses três não forem suficientes,
apenas fique no centro do circulo
e deixe todas as coisas seguirem seus cursos.

CAPÍTULO 20
Pare de pensar
e seus problemas acabam.
Qual é a vantagem do sim sobre o não ?
Qual é a vantagem do sucesso sobre o fracasso ?
Você precisa valorizar
o que os outros valorizam ?
Evitar o que os outros evitam ?
Que ridículo!
Os outros são animados,
como se estivessem num desfile.
Só eu não me importo,
só eu sou sem expressão,
como um bebê antes de saber sorrir.
Os outros tem o que precisam;
só eu não possuo nada.
Só eu vagueio
como alguem sem lar.
Eu pareço um idiota,
minha mente é tão vazia.
Os outros são brilhantes,
só eu sou obscuro.
Os outros são espertos,
só eu sou bobo.
Os outros tem um propósito,
só eu não sei.
Eu vagueio com uma onda no oceano,
eu sopro sem rumo como o vento.
Eu sou diferente das pessoas comuns.
Eu bebo do seio da Grande Mãe.

CAPÍTULO 21
O Sábio mantém sua mente
sempre unificada com o Tao.
É isso que o faz radiante.
Não se pode agarrar o Tao.
Como sua mente pode ser uma com ele?
Porque o sábio não se agarra a idéias.
O Tao é obscuro e insondável.
Como ele pode fazer alguem radiante?
Porque o sábio o permite.
Antes de o tempo e o espaço serem,
O Tao é.
Está além do ser e do não ser.
Como eu sei que isso é verdade?
Eu olho dentro de mim
e vejo.

CAPÍTULO 22
Se você quer se tornar completo,
permita-se ser parcial.
Se quer tornar-se reto,
permita-se ser entortado.
Se quer se tornar pleno,
permita-se ser esvaziado.
Se você quer renascer,
permita-se morrer.
Se você quer receber tudo,
doe tudo.
Ao descansar no Tao,
O Mestre dá um exemplo
para todos os seres.
Porque ele não exibe a si mesmo,
as pessoas podem ver sua luz.
Porque ele não tem nada a provar,
as pessoas podem confiar em suas palavras.
Porque ele não toma conhecimento de si ,
as pessoas se reconhecem nele.
Porque ele não tem uma meta em mente,
tudo que ele faz tem sucesso.
Quando o antigo mestre disse,
“Se quer receber tudo, desista de tudo,”
não eram palavras vazias.
Apenas sendo vivido pelo Tao,
Você pode ser realmente você.

CAPÍTULO 23
Expresse a si mesmo completamente,
então fique quieto.
Seja como as forças da natureza:
Quando ele sopra só há vento;
Quando chove só há chuva;
Quando as nuvens passam o sol brilha.
Se você se abre para o Tao,
você é um com o Tao
e pode incorporá-lo completamente.
Se você se abre para a intuição,
você é um com a intuição
e pode usá-la completamente.
Se você se abre para a perda,
você é um com a perda
e pode aceitá-la completamente.
Abra-se para o Tao,
então confie nas suas reações naturais
e tudo irá para seu devido lugar.

CAPÍTULO 24
Quem fica na ponta dos pés
não se permanece firme.
Quem desembesta na frente
não vai longe.
Quem tenta brilhar,
ofusca sua própria luz.
Quem define a si mesmo
não pode saber quem é realmente.
Quem tem poder sobre os outros
não pode dar poder a si mesmo.
Quem se agarra a sua obra,
não criará nada que dure.
Se você quer fluir com o Tao,
apenas faça o seu trabalho
e depois esqueça.

CAPÍTULO 25
Havia algo sem forma e perfeito
antes do universo nascer.
Ele é sereno, vazio, único, imutável, infinito.
Eternamente presente.
É a mãe do universo.
Pela falta de um nome melhor,
Eu o chamo de Tao.
Ele flui através de todas as coisas,
dentro e fora
e retorna a origem de todas as coisas.
O Tao é grandioso.
O Universo é grandioso.
A Terra é grandiosa.
O Homem é grandioso.
Esses são os quatro grandes poderes.
O Homem segue a terra.
A Terra segue o Universo.
O Universo segue o Tao.
O Tao segue apenas a si mesmo.

CAPÍTULO 26
O pesado é a raiz do leve.
O imóvel é a fonte de todo movimento.
Assim o sábio viaja o dia todo
sem sair de casa.
Mesmo quando vê coisas incríveis,
ele permanece sereno em si mesmo.
Por que o senhor das terras deve fugir como um tolo?
Se você se permitir ser jogado de lá pra cá,
desprende-se de sua raiz.
Se deixa a ansiedade lhe mover,
perde contato com quem você é.

CAPÍTULO 27
O bom viajante não tem um plano fixo
E não está preocupado com a chegada.
Um bom artista deixa sua intuição levá-lo onde ela quiser.
Um bom cientista se libertou de conceitos
e mantem sua mente aberta para o que é.
Assim o mestre está disponível para todos
e não rejeita ninguém.
Ele está pronto para usar todas as situações
e não desperdiça nada.
A isso se chama corporificar a luz.
O que é um homem bom, senão o professor de um homem mau?
O que é um homem mau, senão o trabalho de um homem bom?
Se você não entende isso, ficará confuso,
mesmo sendo inteligente.
Esse é o maior segredo.

CAPÍTULO 28
Conheça o masculino, mas mantenha o feminino:
Receba o mundo em seus braços.
Se você receber o mundo,
O Tao nunca o deixará
e você será como uma criancinha.
Conheça o branco, mas mantenha o negro:
Seja um modelo para o mundo.
Se você é um modelo para o mundo,
O Tao será forte dentro de você
e não haverá nada que não possa fazer.
Conheça o pessoal,
mas mantenha o impessoal:
Aceite o mundo como ele é.
Se você aceitar o mundo
O Tao será luminoso dentro de você
e você retornará ao seu eu original.
O mundo é formado do vazio,
como utensílios de um bloco de madeira.
O mestre percebe os utensílio
mas reconhece o bloco:
Assim ele pode trabalhar com todas as coisas.

CAPÍTULO 29
Você quer melhorar o mundo?
Eu não penso que seja possível.
O mundo é sagrado.
Ele não pode ser melhorado.
Se você o manipula, o arruinará.
Se o tratar como um objeto, o perderá.
Há um tempo para estar à frente,
um tempo para estar atrás,
um tempo para estar em movimento,
um tempo para descansar,
um tempo para ser vigoroso,
um tempo para estar exausto,
um tempo para estar à salvo,
um tempo para estar em perigo.
O Sábio vê as coisas como elas são,
sem tentar controlá-las.
Ele as deixa seguir seu próprio caminho
e habita no centro do círculo.

CAPÍTULO 30
Quem quer que repouse no Tao ao governar os homens
não tenta resolver problemas à força
ou derrotar os inimigos pela força das armas.
Para cada força ha uma contra força.
Violência, mesmo bem intencionada,
sempre rebate e volta a cair sobre você mesmo.
O mestre faz seu trabalho
e depois pára.
Ele entende que o Universo
é eternamente incontrolável
e que tentar dominar os eventos
vai contra a correnteza do Tao.
Porque acredita em si mesmo,
ele não tenta convencer os outros.
Porque está contente consigo mesmo,
ele não precisa da aprovação dos outros.
Porque ele aceita a si mesmo,
o mundo inteiro o aceita.

CAPÍTULO 31
Armas são as ferramentas da violência;
todo homem decente as detesta.
Armas são as ferramentas do medo;
uma pessoa decente as evita
exceto em extrema necessidade
e, se compelido a usá-las,
o fará apenas com extrema moderação.
Paz é seu maior valor.
Se a paz for destruída,
como ele pode estar satisfeito ?
Seus inimigos não são demônios,
mas seres humanos iguais a ele.
Ele não lhes deseja danos pessoais,
nem se alegra na vitória.
Como ele poderia gozar a vitória
e deleitar-se nas carnificinas ?
Ele entra em uma batalha de luto,
com tristeza e com grande compaixão,
como se estivesse participando de um funeral.

CAPÍTULO 32
O Tao não pode ser percebido.
Menor que um elétron,
ele contém galáxias incontáveis.
Se homens e mulheres poderosos
pudessem permanecer centrados no Tao,
todas as coisas estariam em harmonia.
O mundo se tornaria um paraíso,
todos as pessoas estariam em paz
e a lei estaria escrita nos seus corações.
Quando vocês possuem nomes e formas,
saibam que eles são provisórios.
Quando vocês possuem instituições,
saibam onde as suas funções devem terminar.
Sabendo quando parar,
você pode evitar qualquer perigo.
Todas as coisas acabam no Tao,
como os rios fluem para dentro do mar.

CAPÍTULO 33
Conhecer os outros é inteligência;
conhecer a si mesmo é verdadeira sabedoria.
Ser senhor dos outros é força;
ser senhor de si é verdadeiro poder.
Se você perceber que possui o suficiente,
você é realmente rico.
Se você permanecer no centro
e abraçar a morte com todo coração,
você irá viver para sempre.

CAPÍTULO 34
O grande Tao flui por toda parte.
Todas as coisas nasceram dele,
mesmo sem serem por ele criadas.
Ele se derrama dentro de seu trabalho
e não reclama nada para si.
Ele nutre mundos infinitos,
mas não se agarra a eles.
Como ele está imerso em todas as coisas
e escondido nos seus corações,
ele pode ser chamado humilde.
Como todas as coisas dissolvem nele
e apenas ele permanece,
ele pode ser chamado o maoir.
Ele não percebe a sua grandeza;
assim ele é verdadeiramente grande.

CAPÍTULO 35
Aquele que está centrado no Tao
pode ir onde deseja, sem correr perigo.
Ele percebe a harmonia universal,
mesmo em meio a grande dor,
porque ele achou paz no seu coração.
A música e o cheiro de boa comida
podem fazer as pessoas pararem e festejarem,
Mas as palavras que apontam para o Tao
parecem monótonas e sem sabor.
Quando você olha para ele, não há nada para ver.
Quando o escuta, não há nada para ouvir.
Quando você o usa, ele é inesgotável.

CAPÍTULO 36
Se você quer encolher alguma coisa,
primeiro deve permiti-la expandir-se.
Se você quer se livrar de alguma coisa,
primeiro deve permiti-la florescer.
Se você quer possuir alguma coisa,
deve primeiro permitir que seja doada.
Isso é chamado da percepção sutil do modo de ser das coisas.
O macio supera o duro.
O lento supera o rápido.
Deixe que suas práticas permanecerem um mistério.
Apenas mostre às pessoas os resultados.

CAPÍTULO 37
O Tao nunca faz nada,
mas através dele todas as coisas são feitas.
Se mulheres e homens poderosos
pudessem centrar-se nele,
o mundo inteiro seria transformado
por conta própria, em seu ritmo natural.
As pessoas estariam felizes
com sua simples vida cotidiana,
em harmonia e livre de desejos.
Quando não há desejos,
todas as coisas estão em paz.

CAPÍTULO 38
O Mestre não tenta ser poderoso;
assim ele é realmente poderoso.
O homem comum segue perseguindo o poder;
assim ele nunca tem o bastante.
O sábio não faz nada
mas não deixa nada inacabado.
O homem comum está sempre fazendo coisas
e mesmo assim, muito mais são deixadas por fazer.
O homem bom faz alguma coisa
mas algo fica por fazer.
O homem justo faz alguma coisa
e deixa muitas coisas por fazer.
O homem moralista faz alguma coisa
e quando ninguém obedece,
ele ergue seu escudo e usa a força.
Quando o Tao é perdido, há a bondade.
Quando a bondade é perdida, há a moralidade.
Quando a moralidade é perdida, há o ritual.
Ritual é a casca da fé verdadeira,
o início do caos.
Por isso o sábio se preocupa
com as profundezas e não com a superfície,
com a fruta e não com a flor.
Ele não tem desejos próprios.
Ele habita na realidade
e esquece todas as ilusões.

CAPÍTULO 39
Em harmonia com o Tao,
o céu é claro e espaçoso,
a terra é sólida e plena,
todas as criaturas florescem juntas,
satisfeitas em serem o que são.
infinitamente replicando-se,
infinitamente renovadas.
Quando o homem interfere com o Tao,
O céu se torna sujo,
a terra se torna empobrecida,
o equilíbrio é destruído,
criaturas se tornam extintas.
O sábio vê as partes com compaixão,
porque ele compreende o Todo.
Sua prática constante é humildade.
Ele não brilha como um jóia,
mas permite ser moldado pelo Tao,
tão comum e irregular como uma pedra.

CAPÍTULO 40
Retorno é o movimento do Tao.
Flexibilidade é o caminho do Tao.
Todas as coisas nascem do ser.
E o ser nasce do não ser.

CAPÍTULO 41
Quando um homem superior ouve do Tao,
imediatamente começa a incorpora-lo.
Quando o homem comum ouve do Tao,
ele meio acredita, meio duvida.
Quando um homem tolo ouve do Tao,
ele dá gargalhadas.
Se ele não risse
não teria sido o Tao.
Por isso é dito:
O caminho para dentro da luz parece escuro,
o caminho para frente parece ir para trás,
o caminho reto parece mais longo,
poder verdadeiro parece fraqueza,
verdadeira pureza parece inconveniência,
a verdadeira estabilidade parece volúvel,
a verdadeira claridade parece obscura,
a maior arte parece não sofisticada,
o maior amor parece indiferente,
a maior sabedoria parece infantilidade.
O Tao não está em um lugar para ser achado.
E mesmo assim, nutre e completa todas as coisas.

CAPÍTULO 42
O Tao gerou Um.
Um gerou Dois.
Dois gerou Três.
Três gerou todas as coisas.
Todas as coisas estão de costas para o feminino
e de frente encaram o masculino.
Quando masculino e feminino combinam-se,
todas as coisas alcançam harmonia.
Homens comuns odeiam a solidão.
Mas o sábio faz uso dela,
abraçando sua solidão,
percebendo que ele é Um
com o universo inteiro.

CAPÍTULO 43
A coisa mais gentil do mundo,
supera a coisa mais bruta do mundo.
O que não tem substância
entra onde não há espaço.
Isso mostra o valor da não-ação.
Ensinar sem palavras,
realizar sem ações:
Esse é o caminho do sábio.

CAPÍTULO 44
Fama ou integridade: qual é o mais importante ?
Dinheiro ou felicidade: qual é o mais valioso ?
Sucesso ou fracasso: qual é o mais destrutivo ?
Se você busca nos outros a saciedade,
você jamais será realmente saciado.
Se sua felicidade depende do dinheiro,
você jamais será feliz consigo mesmo.
Esteja satisfeito com o que você tem;
alegre-se com o curso natural das coisas.
Quando você percebe que nada está faltando,
o mundo inteiro pertence a você.

CAPÍTULO 45
Verdadeira perfeição parece imperfeita,
entretanto é perfeita em si mesma.
Verdadeira plenitude parece vazia,
Entretanto ela está totalmente presente.
Verdadeira retidão parece torta.
Verdadeira sabedoria parece tolice.
A arte verdadeira não parece arte.
A sábia permite que as coisas aconteçam.
Ela adapta-se aos eventos a medida em que eles chegam.
Ela sai do caminho
e deixa o Tao falar por si mesmo.

CAPÍTULO 46
Quando um país está em harmonia com o Tao,
as fábricas produzem caminhões e tratores.
Quando um país vai contra o Tao,
explosivos são estocados foras das cidades.
Não há ilusão maior que o medo,
Não há engano maior do que preparar-se para a auto defesa,
não há maior desgraça do que ter um inimigo.
Aquele que puder enxergar através de todo medo,
sempre estará em segurança.

CAPÍTULO 47
Sem abrir a sua porta,
você pode abrir o seu coração para o mundo.
Sem olhar para fora da sua janela,
você pode ver a essência do Tao.
Quanto mais você sabe,
Menos compreende.
O sábio chega sem partir,
vê a luz sem olhar
realiza sem fazer coisa alguma.

CAPÍTULO 48
Na busca pelo conhecimento,
todo o dia algo é acrescentado.
Na prática do Tao,
todo dia algo é descartado.
Cada vez menos você precisa interferir nas coisas,
até que finalmente você chega à não-ação.
Quando nada é feito,
nada é deixado por fazer.
O verdadeiro domínio pode ser conquistado
deixando as coisas seguirem seu próprio caminho.
Ele não pode ser conquistado pela interferência.

CAPÍTULO 49
A sábia não possui uma mente própria.
Ela trabalha com a mente das pessoas.
Ela é boa com as pessoas que são boas.
Ela também é boa com as pessoas que não são boas.
Essa é a verdadeira bondade.
Ela confia em pessoas que são dignas de confiança.
Ela também confia em pessoas que não são dignas de confiança.
Essa é a verdadeira confiança.
A mente da sábia é como o espaço.
As pessoas não a compreendem
Eles a observam e esperam.
Ela os trata como seus próprios filhos.

CAPÍTULO 50
O sábio se entrega
para tudo que o momento traz.
Ele sabe que irá morrer
e não possui mais nada a que se agarrar:
não ha ilusões em sua mente.
nem resistência em seu corpo.
Ele não pensa sobre suas ações;
elas fluem do âmago do seu ser.
Ele não se prende a nada que conquistou na vida;
por isso ele está pronto para a morte,
como um homem está pronto para dormir
depois de um bom dia de trabalho.

CAPÍTULO 51
Todo ser do universo
é uma expressão do Tao.
Ele brota na existência,
inconsciente, perfeito, livre,
adquire um corpo físico,
deixa as circunstâncias completa-lo.
É por isso que todo ser
honra o Tao espontaneamente.
O Tao gera todos os seres,
Os nutre, os mantém,
cuida deles, conforta-os, protege-os,
Os trás de volta para si mesmo,
criando sem possuir,
agindo sem interesse,
guiando sem interferir.
Por isso o amor do Tao
está na real natureza das coisas.

CAPÍTULO 52
No início era o Tao.
Todas as coisas fluíram Dele,
todas as coisas a Ele retornam.
Para encontrar a origem,
rastreie as manifestações.
Quando você reconhecer o filho
e achar a mãe,
você será livre do sofrimento.
Se você fechar sua mente com julgamentos
e congestiona-la com desejos,
seu coração será angustiado.
Se você protege sua mente de julgamentos
E não é guiado pelos sentidos,
seu coração encontrará a paz.
Ver através da escuridão é esclarecimento.
Saber curvar-se é força.
Use sua própria luz
e retorne para a fonte da luz.

CAPÍTULO 53
O Caminho superior é fácil
no entanto as pessoas preferem os atalhos.
Fique atento quando as coisas estão desequilibradas.
Permaneça centrado no Tao.
Quando os ricos especuladores prosperam,
enquanto os agricultores perdem suas terras;
quando oficiais do governo gastam dinheiro
com armas ao invés de saúde;
quando a classe alta é extravagante e irresponsável,
enquanto o pobre não tem a quem recorrer.
Tudo isso é roubalheira e caos,
Não é harmonia com o Tao.

CAPÍTULO 54
Tudo que estiver plantado no Tao
não será desenraizado.
Quem quer que abraçar o Tao
não irá escorregar e cair.
Seu nome será honrado
de geração à geração.
Deixe o Tao estar presente em sua vida
e você se tornará autêntico.
Deixe-o estar presente em sua família
e sua família florescerá.
Deixe-o estar presente em seu país
E ele será um exemplo
para todos os países do mundo.
Deixe-o estar presente no universo
e o universo cantará.
Como eu sei que isso é verdade ?
Olhando para dentro de mim.

CAPÍTULO 55
Quem está em harmonia com o Tao
é como um recém nascido.
Seus ossos são moles,
seus músculos são fracos,
mas seu agarrar é poderoso.
Ele não sabe sobre a união
de macho e fêmea,
Entretanto seu pênis pode ficar ereto,
tão intenso é seu poder vital.
Ele pode berrar o dia todo
entretanto jamais ficar rouco,
tão completa é sua harmonia.
O poder do sábio é assim,
Ele permite que todas as coisas venham e vão,
sem esforço, sem desejos.
Ele nunca espera resultados;
por isso nunca é desapontado.
Ele nunca está desapontado;
por isso seu espírito nunca envelhece.

CAPÍTULO 56
Aquele que sabe não fala.
Aquele que fala não sabe.
Feche sua boca,
bloqueie seus sentidos,
entorpeça sua perspicácia,
desate seus nós,
suavize sua carranca,
assente a sua poeira.
Essa é a identidade original.
Seja como o Tao.
Ele não pode ser aproximado ou afastado,
beneficiado ou prejudicado.
honrado ou desgraçado.
Ele se dá continuamente.
È por isso que ele permanece.
Postado por Documentários Vários às 14:36 0 comentários

CAPÍTULO 57
Se você quer ser um grande líder,
deve aprender a seguir o Tao.
Pare de tentar controlar.
Desista dos planos e conceitos rígidos
e o mundo governará a si mesmo.
Quanto mais proibições vocês têm,
menos virtuoso será o povo.
Quanto mais armas vocês tiverem,
menos seguro será o povo.
Quanto mais subsídios vocês têm,
menos auto suficiente será o povo.
Por isso o sábio diz:
Eu desisti da lei
e o povo se tornou honesto.
Eu desisti da economia
e o povo se tornou próspero.
Eu desisti da religião
e o povo se tornou sereno.
Eu desisti de todo o desejo pelo bem comum
e o bem tornou-se comum como o mato.

CAPÍTULO 58
Se uma nação é governada com tolerância,
o povo vive confortável em honestidade.
Se uma nação é governada com repressão.
o povo vive deprimido e sobrecarregado.
Quando a sede de poder está no comando,
Quanto maiores os ideais, menores os resultados.
Tente fazer as pessoas felizes
e você prepara o terreno para a amargura.
Tente moralizar povo
e você prepara o terreno para o vício.
A sábia fica feliz
em servir de exemplo
e não em impor sua vontade.
Ela é afiada mas não fere.
Inabalável mas flexível.
Radiante mas não ofuscante.

CAPÍTULO 59
Para governar bem um povo,
nada é melhor que moderação.
O sinal de uma pessoa moderada
é ser livre de suas próprias idéias.
Tolerante como o espaço,
todo abrangente como a luz do sol,
firme como uma montanha,
maleável como uma árvore na ventania,
Ele não tem destinho à vista
e faz uso de tudo aquilo
que a vida vier a colocar no seu caminho.
Nada para ele é impossível
Porque ele se entregou ao fluxo da vida,
ele pode cuidar do bem estar das pessoas
como uma mãe cuida de seu filho.

CAPÍTULO 60
Governar uma grande nação
é como fritar um peixe pequeno.
Se você mexer demais o desmancha.
Centralize sua nação no Tao
e o mal não terá poder.
Não que o mal não esteja lá
mas você será capaz de sair do seu caminho.
Não ofereça oposição ao mal
e ele desaparecerá por si mesmo.

CAPÍTULO 61
Quando uma nação obtém grande poder,
ela se torna como o mar:
Todas as correntes descem para desaguar nela.
Quanto mais poderosa se torna,
maior a necessidade de humildade.
Humildade significa confiar no Tao,
e assim nunca precisar ser defensivo.
Uma grande nação é como um grande homem:
Quando ele comete um erro, ele o percebe.
Tendo percebido, ele o admite.
Tendo admitido, ele o corrige.
Ele considera aqueles que apontam as suas faltas
como seus mais benevolentes professores.
Ele pensa em seus inimigos
como a sombra que ele mesmo projeta.
Se uma nação está centrada no Tao,
nutre seu próprio povo
e não se intromete nos assuntos dos outros,
ela será uma luz para todas as nações do mundo.

CAPÍTULO 62
O Tao é o centro do universo,
o tesouro do homem bom,
o refúgio do homem mau.
Honras podem ser compradas com palavras elegantes,
respeito pode ser ganho com boas ações;
mas o Tao está além de qualquer valor
e ninguém pode conquista-lo.
Assim, quando um novo governante é escolhido,
não se ofereça para ajuda-lo
com a sua riqueza ou sua expertise.
Ofereça-se, ao invés disso,
para ensina-lo sobre o Tao.
Por que os mestres antigos estimavam o Tao ?
Porque, sendo um com o Tao,
quando busca, você encontra
e quando comete um erro, você é perdoado.
É por isso que todos o amam.

CAPÍTULO 63
Aja sem fazer;
trabalhe sem esforço.
Pense no pequeno como grande
e no pouco como muito.
Enfrente o difícil
enquanto ele ainda é fácil,
realize uma grande tarefa
com uma série de pequenos atos.
A sábia nunca busca o grande,
assim ela conquista grandeza.
Quando ela encontra dificuldades,
ela pára e se entrega a elas.
Ela não se agarra a seu próprio conforto,
assim problemas não são problema para ela.

CAPÍTULO 64
O que está enraizado é fácil nutrir.
O que é recente é fácil corrigir.
O que é frágil é fácil quebrar.
O que é pequeno é fácil espalhar.
Evite problemas antes deles surgirem.
Organize as coisas antes delas existirem.
O gigante pinheiro
cresce de uma minúscula muda.
A jornada de mil milhas
se inicia debaixo dos seus pés.
Jogando-se na ação, você falha.
Tentando agarrar as coisas, você as perde.
Forçando a finalização de um projeto,
você arruína o que estava quase pronto.
Por isso o sábio age
deixando as coisas seguirem seus cursos.
Ele permanece tão calmo no final
como estava no início.
Ele nada possui,
por isso nada tem a perder.
O que ele deseja é o não-desejo;
o que ele aprende é a desaprender.
Ele apenas lembra as pessoas
de quem elas sempre foram.
Ele não se preocupa com nada além do Tao.
Por isso ele pode cuidar de todas as coisas.

CAPÍTULO 65
Os antigos Mestres
não tentavam educar as pessoas,
mas gentilmente as ensinavam a não-saber.
Quando elas acham que sabem as respostas,
as pessoas são difíceis de guiar.
Quando elas sabem que não sabem,
as pessoas podem encontrar seus próprios caminhos.
Se você quer aprender a governar,
evite ser intelectual ou rico.
O desenho mais simples é o mais nítido.
Feliz com sua vida comum,
você pode mostrar a todos
o caminho de volta à sua verdadeira natureza.

CAPÍTULO 66
Todos os rios fluem para o mar,
porque o mar está abaixo deles.
A humildade lhe dá seu poder.
Se você quer governar o povo,
deve-se colocar abaixo dele.
Se você quer guiar o povo,
deve aprender a segui-los.
A Sábia está acima do povo
e ninguém se sente oprimido.
Ela segue à frente das pessoas,
e ninguém se sente manipulado.
O mundo inteiro é grato a ela.
Porque ela compete com ninguém,
ninguém pode competir com ela.

CAPÍTULO 67
Alguns dizem que meu ensinamento é absurdo.
Outros o chamam elevado, mas impraticável.
Mas para aqueles que têm olhado para dentro de si mesmos,
esse absurdo faz perfeito sentido.
E para aqueles que o praticam,
essa elevação tem raízes que vão fundo.
Eu tenho apenas três coisas a ensinar:
Simplicidade, paciência, compaixão.
Esses três são seus maiores tesouros.
Simples em ações e pensamentos,
você retorna para a fonte da existência.
Paciente com amigos e inimigos,
você está de acordo com o modo como as coisas são.
Tendo compaixão por si mesmo,
você reconcilia todos os seres do mundo.

CAPÍTULO 68
O melhor atleta
quer ver seu oponente em sua melhor forma.
O melhor general
penetra na mente do seu inimigo.
O melhor negociante
serve ao bem da comunidade.
O melhor líder
segue a vontade do povo.
Todos eles encorporaram
a virtude da não-competição.
Não que não gostem de competir
mas eles o fazem no espírito da brincadeira,
Nisso, são como crianças
em harmonia com o Tao.

CAPÍTULO 69
Os generais tem um ditado:
“Melhor que o primeiro movimento fazer,
é esperar e ver.
Melhor que um centímetro avançar,
é um quilômetro recuar.”
Isso é chamado
ir para frente sem avançar
e fazer recuar sem usar armas.
Não há maior desgraça
que subestimar o inimigo.
Subestimar o inimigo
significa pensar que ele é mau.
Assim você destrói seus três tesouros*
e torna a si mesmo um inimigo.
Quando duas grandes forças se opõem,
a vitória irá para aquele que sabe curvar-se.

CAPÍTULO 70
Meus ensinamentos são fáceis de entender
e fáceis de praticar.
Entretanto seu intelecto nunca o irá decifra-lo
e se tentar praticá-los, irá falhar.
Meus ensinamentos são mais velhos que o mundo.
Como você poderia decifrar seu significado?
Se você quiser me conhecer,
Olhe para dentro de seu coração.

CAPÍTULO 71
Não-saber é real sabedoria.
Presumir saber é uma doença.
Primeiro perceba que você está doente;
depois você pode ir em direção à saúde.
A sábia é sua própria médica.
Ela se curou de todo saber.
Assim ela é realmente plena.

CAPÍTULO 72
Quando perdem o sentimento de veneração,
as pessoas se voltam para religião.
Quando elas não confiam mais em si mesmas,
elas começam a depender de autoridades.
Conseqüentemente o mestre se afasta,
para que as pessoas não fiquem confusas.
Ele ensina sem um ensinamento,
para que as pessoas não tenham nada que aprender.

CAPÍTULO 73
O Tao é sempre sem esforço.
Ele supera sem competir,
responde sem falar uma palavra,
chega sem ser convocado,
realiza sem planos.
Suas redes cobrem todo universo.
E mesmo sua malha sendo larga,
ele não permite que nada caia dela.

CAPÍTULO 74
Se você percebe que tudo muda,
não há nada em que tentará se agarrar.
Se você não tem medo de morrer,
não há nada que não possa realizar.
Tentar controlar o futuro
é como tomar o lugar do mestre carpinteiro.
Quando você usa suas ferramentas,
é bem provável que corte sua mão.

CAPÍTULO 75
Quando as taxas são altas demais,
o povo passa fome.
Quando o governo é muito intrusivo,
O povo perde o vigor.
Trabalhe pelo benefício do povo.
Confie neles; deixe-os em paz.

CAPÍTULO 76
Os homens nascem macios e elásticos;
mortos, eles são rígidos e duros.
As plantas nascem tenras e flexíveis;
mortas, são secas e frágeis.
Assim, quem for rígido e inflexível,
é um discípulo da morte.
Quem for gentil e flexível,
é um discípulo da vida.
O duro e rígido será quebrado.
O suave e flexível irá prevalecer.

CAPÍTULO 77
Ao atuar no mundo
o Tao é como a curvatura de uma tijela.
O topo é curvado para baixo;
o fundo é curvado para cima.
Ele ajusta excesso e falta
para que haja equilíbrio perfeito.
Ele tira do que é demais
e dá para o que não é suficiente.
Aqueles que tentam controlar,
que usam força para proteger seu poder,
vão contra a direção do Tao.
Eles tiram daqueles que não tem o suficiente
e dão para aqueles que já têm demais.
A sábia pode dar sempre
porque não há fim para sua riqueza.
Ela age sem expectativas,
alcança sem receber créditos
e não acredita que seja melhor

CAPÍTULO 78
Nada no mundo
é mais suave e flexível que a água
No entanto para dissolver o duro e inflexível,
nada pode supera-la.
O suave supera o duro;
O gentil supera o rígido.
Todos sabem que isso é verdade
mas poucos podem praticá-lo.
Por isso o sábio permanece
sereno em meio a dor.
O mal não pode entrar em seu coração.
Porque ele desistiu de ajudar,
ele é a maior ajuda das pessoas.
Palavras verdadeiras parecem paradoxais.

CAPÍTULO 79
O fracasso é uma oportunidade.
Se você culpa outra pessoa,
não haverá fim para a culpa.
Por isso a sábia
cumpre suas próprias obrigações
e corrige seus próprios erros.
Ela faz o que precisa fazer
e não exige nada dos outros.

CAPÍTULO 80
Se uma terra é governada sabiamente,
seus habitantes serão felizes.
Eles apreciam o trabalho de suas mãos
e não perdem tempo inventando
máquinas para economizar tempo.
Uma vez que eles ternamente amam seus lares,
não tem interesse em viagens.
Podem haver alguns carros e barcos,
mas eles não vão a lugar algum.
Pode haver um arsenal,
mas ninguém nunca usa armas.
O povo aprecia sua comida,
sentem prazer em estar com a família,
passam finais de semana trabalhando em seus jardins,
divertem-se com as atividades do bairro.
E mesmo que a cidade vizinha seja tão perto
que dê para ouvir seus galos cantarem
e seus cães latirem,
eles estão contentes de morrer de velhice
sem nunca ter ido lá para vê-los.

CAPÍTULO 81
Palavras verdadeiras não são eloqüentes,
palavras eloquentes não são verdadeiras.
Homens sábios não precisam provar suas crenças,
homens que precisam provar suas crenças não são sábios.
O sábio não tem posses,
Quanto mais ele faz pelos outros
mas feliz ele é.
Quanto mais ele dá aos outros
mais rico ele é.
O Tao alimenta sem forçar.
Não dominando o sábio conduz.

O Tao Te Ching foi escrito entre 350 e 250 A.C. e sua autoria é, tradicionalmente, atribuída a Lao Tzi (literalmente, “Velho Mestre”)

COMPARTILHAR