Tamoios vive clima de tensão com o comércio fechado por causa da violência

Lojas fechadas em Tamoios nesta quinta
A morte de um traficante nesta semana mudou a rotina de Tamoios, segundo distrito de Cabo Frio. Com medo de retaliação por parte dos criminosos, comerciantes fecharam as portas, escolas suspenderam aulas e unidades de saúde restringiram os atendimentos. Relatos de moradores afirmam que houve “toque de recolher” imposto por bandidos. A Polícia Militar reforçou o policiamento no local.
O transporte público também foi atingido. Vans, táxis e carros de transporte alternativo foram impedidos de circular. Os poucos motoristas que se arriscaram foram ameaçados.
“Eu estava em um carro de lotada que foi parado por homens armados. Mandaram tudo mundo descer e ameaçaram o motorista. Disseram que se ele não parasse de cirular iam atear fogo no carro”, disse uma moradora que preferiu não ser identificada.

Escolas sem aulas

Policiamento foi reforçado em Tamoios
O traficante que morreu era apontado como chefe de uma facção criminosa na região. Ele e um comparsa foram mortos pela PM durante um confronto na localidade conhecida como Pinguela, próximo à Rua da Assembleia.
Cinco escolas da rede tiveram as aulas suspensas em três bairros de Tamoios: Aquarius, Santo Antônio e Centro Hípico. Cerca de 2 mil alunos foram afetados da creche ao 9º ano. Na área da saúde, o ESF Samburá suspendeu o atendimento.
Uma ação da Secretaria de Assistência Social de Cabo Frio que estava programada para esta quinta-feira (24) também foi prejudicada. O mutirão de atendimentos para emissão de documentos e realização de exames, que seria no Ginásio Poliesportivo João Augusto precisou ser adiada. Em nota, a Prefeitura de Cabo Frio informou que o evento foi cancelado por motivos de segurança e que uma nova data será anunciada em breve.
COMPARTILHAR