Tamoios de portas abertas: expansão do comércio gera empregos e faz o dinheiro circular

A Rua do Atacadão é o principal polo comercial de Tamoios, segundo distrito de Cabo Frio | Foto: Mateus Marinho

Mateus Marinho | Tomás Baggio

O ranger das portas de aço, aquelas de enrolar, subindo e descendo no começo da manhã e no fim da tarde, é um dos sons que mais se ouve atualmente em Tamoios, segundo distrito de Cabo Frio. O crescimento do comércio local é visível, apesar da carência de dados oficiais sobre o aumento da atividade. A grande força econômica é o comércio popular, que tem na Quinta Avenida, ou Rua do Atacadão, seu maior polo de serviços. Mas o shopping local, construído em 2015, que atraiu cerca de 30 novas empresas, colaborou para diversificar a economia com a chegada de grifes, salas de cinema e redes de porte nacional.

A Associação Comercial, Industrial e Turística de Cabo Frio (Acia) não sabe precisar o número exato de empresas em Tamoios, já que a minoria está cadastrada na entidade. Este é, inclusive, um dos focos da Acia em Tamoios: atrair os comerciantes para dentro da associação. A Acia informa, no entanto, que atualmente existem pouco mais de 1 mil CNPJ’s ativos em Tamoios, e considera o número positivo.

Distrito de Tamoios cresce no entorno da Rodovia Amaral Peixoto | Foto: Mateus Marinho

“O resultado foi muito positivo em 2016, quando foram gerados 87 novos CNPJ’s em Tamoios. O quadro se manteve crescente em 2017. A economia da região tem ganhado uma dinâmica positiva e diversificada, que tem dado base ao crescimento local. A expectativa para 2018 é a melhor possível”, conta Daniela Vitoretti, diretora da Acia em Tamoios.

O empresário Josias Medeiros resolveu apostar em Tamoios | Foto: Arquivo Pessoal

O empresário Josias Medeiros é um exemplo do fortalecimento do setor. Ele possui loja de roupas no centro de Cabo Frio, em São Pedro da Aldeia e em Niterói, e inaugurou a filial de Unamar, bairro principal de Tamoios, em 2015, dentro do shopping UnaPark.

“Vejo com bons olhos esse crescimento econômico de Tamoios. O centro de Cabo Frio está ficando estagnado e o shopping (Park Lagos, no Novo Portinho) dividiu muito o cliente que antes se concentrava no centro. Tamoios se tornou uma opção natural e está crescendo muito. A população está aumentando visivelmente e tende a aumentar ainda mais, porque é um lugar com muito território disponível. Dentro disso entendemos que o conceito com o qual trabalhamos tinha muito mercado em Tamoios, e a aposta estava certa. Em 2015 tivemos um ano bom. Em 2016 o faturamento caiu, mas voltou a crescer em 2017. Este ano de 2018 também começou bem”, diz Josias, calculando que, em 2017, teve um faturamento cerca de 25% maior do que no ano anterior.

Segundo o último Censo realizado no país pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2010 Tamoios tinha uma população de 45,9 mil habitantes. No mesmo Censo, a população total de Cabo Frio era de 186,2 mil. Ou seja, a população de Tamoios representava 24,7% da população total do município.

O IBGE divulgou, no fim do ano passado, uma atualização dos dados feita por estimativa. De acordo com os cálculos, Cabo Frio passou a ter em 2017 uma população de 216 mil habitantes. Um crescimento de 16,1% em sete anos. A estimativa é feita apenas para o município como um todo, por isso, não há dados estimados especificamente para Tamoios em 2017. Se for aplicado o mesmo percentual de crescimento da população de toda a cidade para o distrito, Tamoios teria, até o ano passado, 53,3 mil habitantes, ainda que o ritmo de construções e o vasto território disponível para novas habitações leve à conclusão de que este número possa ser ainda maior.

Shopping inaugurado em 2015 atraiu grandes redes | Foto: Mateus Marinho

A construção civil, inclusive, juntamente com o comércio, a mineração, a agricultura e a pesca são as principais atividades econômicas de Tamoios. Segundo a Colônia de Pescadores, são cerca de 200 pescadores cadastrados. Outro destaque é o artesanato. No ano passado, quando a Secretaria Municipal de Cultura implantou a Carteirinha do Artesão em parceria com o Governo do Estado, 150 artesãos se cadastraram e passaram a exercer a atividade de maneira formal.

Comércio popular é o motor da economia
Mesmo com a diversificação, nenhuma atividade supera o comércio popular. A Rua do Atacadão, com aproximadamente 40 lojas, atrai grande movimento, principalmente aos sábados, de clientes sedentos por promoções. O movimento não deixa dúvidas de como o dinheiro está circulando.

“Sem dúvidas, o preço é um atrativo interessante. Em outros lugares não se acha produtos com preços tão acessíveis, e a qualidade também é boa. Inclusive alguns produtos são melhores do que em outras lojas. E a variedade de produtos é enorme, você tem muitas opções”, conta Eliza Dinucci, de 34 anos, moradora de Tamoios há 25.

Comércio popular é a grande força econômica | Foto: Mateus Marinho

São sinais de evolução para o distrito que, em 2010, segundo o Censo do IBGE, tinha uma população com rendimento mensal muito abaixo da média da cidade, do estado e do país. Enquanto em Tamoios o rendimento mensal da população acima de 10 anos era de R$ 607,19, no primeiro distrito de Cabo Frio o rendimento médio era de R$ 829,32 (o índice da cidade como um todo, contando o primeiro e o segundo distritos, era de R$ 755,14). No estado do Rio o número era consideravelmente maior: R$ 949,29. O rendimento mensal médio da população brasileira em 2010 era de R$ 755,79, ou seja, menor do que o do estado do Rio e o do município de Cabo Frio, mas consideravelmente maior do que o de Tamoios.

Marcelo Ribeiro trabalha como estoquista na Rua do Atacadão | Foto: Mateus Marinho

“Meu trabalho é aqui no estoque, longe do movimento lá de fora, mas não é fácil, não. Tem dia que eu não paro, é pra lá e pra cá toda hora. Tudo pra manter o estoque organizado, e pra não faltar mercadoria nas baias. Reconheço a importância deste emprego, pois assim como eu, muitos moradores dependem da Rua do Atacadão para se sustentar. Emprego em Tamoios é difícil, e se não fosse por esse centro comercial seria bem mais complicado pra gente que mora aqui”, afirma o estoquista Marcelo Ribeiro, de 21 anos, que trabalha em uma das maiores lojas do local.

Como o IBGE realiza novo Censo a cada 10 anos, somente em 2020 os dados sobre a população de Tamoios e o rendimento mensal médio serão atualizados oficialmente. O ritmo dos negócios, entretanto, dá pistas de que o aumento do mercado consumidor e a chegada de novas empresas pode gerar números mais positivos no próximo levantamento.

Penha Maria acompanhou de perto o crescimento da Rua do Atacadão | Foto: Mateus Marinho

“Eu fui gerente da primeira loja daqui. Não tinha absolutamente nada, pra onde se olhava só se via mato. A rua era de barro, a loja era pequeninha, com uma portinha só. É muito bom ver a rua crescendo dessa forma, com tantas lojas, empregando tanta gente. Hoje somos a maior loja de toda a rua”, relembra Penha Maria, que atualmente exerce a função de conferente em uma loja que emprega cerca de 60 pessoas.

COMPARTILHAR