Sítio Los Fubangos

É para onde Lula deveria mandar sua tralha. Não deu ouvidos às vozes dos amigos e ouviu a da Justiça. Num ano bissexto e sexta-feira 13. 

O que fez em janeiro de 2011 contraria o que havia dito três anos antes: “A primeira coisa que quero fazer é voltar para minha casa. Mas o que eu tenho vontade de fazer mesmo no dia seguinte à posse do novo presidente é ir para meu terreninho em São Bernardo do Campo e fazer um feijão com costelinha de porco, deitar numa rede e dormir, e não falar mais de política. Uma coisa que só quero ver é se, quando terminar o meu mandato, todas as pessoas que me convidaram para passar uns dias na casa delas na praia ou no sítio, vão se lembrar de me chamar. Porque, quando você deixa o poder, costumam esquecer estas coisas”.

Menos de três anos depois já havia esquecido isso e a ganância teria falado mais alto. Há pouquíssima dúvida de que pretendia se mudar para o tríplex no Guarujá e usar o sítio em Atibaia, coisas que contrariam as expectativas anunciadas em 2008: afinal, Leo Pinheiro ofereceu-lhe o tríplex, reformado, decorado, mobiliado e de frente para uma praia; os donos do sítio Santa Bárbara o colocaram à sua disposição, depois de reformá-lo, “sem compromissos atrelados”. 

Hoje em dia o tríplex e o sítios são malditos.

Na quarta-feira, 10 de março de 2010, a nove meses do fim do mandato presidencial, um blog noticiou que São Bernardo do Campo preparava um “tombamento” em vida do ex-presidente. Aos seus amigos de São Bernardo, dizia que uma das primeiras coisas que pretendia fazer quando deixasse Brasília seria descansar no sítio que possui à margem da represa Billings. A expectativa era a de que retomasse à rotina de churrascos e jogos de bola no sítio. Dizia-se que o ex-presidente é bom cozinheiro e esperavam que retomasse o hábito de cozinhar coelho.

O sítio fica em Estoril, no Riacho Grande. Cercado de muito verde, em meio à Mata Atlântica, na Serra do Mar, fica na mesma rua do clube de campo do sindicato dos metalúrgicos. O acesso é no início da Estrada Velha de Santos.

Lula não deu ouvidos à voz do povo e ouviu a da Justiça. Que desperdício.

Ernesto Lindgren
CIDADE ONLINE
29/02/2016

{loadposition facebook}

COMPARTILHAR