Shopping Parklagos sofre embargo da prefeitura de Cabo Frio

planta baixa
Planta baixa do shopping

(04 de Junho de 2013) A Secretaria de Meio Ambiente de Cabo Frio embargou, no fim da tarde de hoje, a construção do Shopping Parklagos, no bairro Palmeiras. A ação já é um reflexo dos trabalhos desenvolvidos pela Comissão Especial de Despoluição da Lagoa de Araruama, criada na Câmara Municipal pelo vereador Emanoel Fernandes, e que tem como integrantes os vereadores Braz Benedito, Luis Geraldo Simas, Jefferson Vidal e Eduardo Kita.

O embargo aconteceu porque, segundo o subsecretário de Meio Ambiente, e integrante da equipe técnica da comissão, a empresa não teria apresentado projeto de construção da Estação de Tratamento de Esgoto própria, nem as licenças do INEA. “Eles dizem que tem, mas não apresentaram, e enquanto não apresentam a obra fica embargada”, explicou Jailton.

O presidente da Comissão, vereador Emanoel Fernandes lembrou que desde a criação da comissão a construção do shopping sempre foi motivo de preocupação. “Existe uma legislação que diz que qualquer empreendimento tem que obedecer a uma distância mínima das margens da Lagoa. No entanto o shopping está sendo construído praticamente dentro da lagoa, o que é um absurdo. Outra preocupação é com relação ao esgoto, não apenas no seu estado bruto, in natura, mas também quanto aos efluentes tratados, que por mais pureza que tenha, é água doce, e água doce também é prejudicial à lagoa. Então este embargo de hoje nos dá muita alegria, porque mostra os primeiros resultados da nossa comissão, antes mesmo da audiência pública, marcada para agosto”, comemorou.

A construção de redes separativas e ETEs próprias em grandes empreendimentos que queiram se instalar em Cabo Frio, bem como outras atividades que gerem impactos diretos e indiretos à Lagoa, estão entre as bandeiras defendidas pela Comissão Especial de Despoluição da Lagoa de Araruama.

Esses investimentos, segundo os vereadores e equipe técnica, poderiam ser revertidos em benefícios fiscais para essas grandes empresas através do IPTU Verde ou outros meios em discussão na comissão. A audiência pública para tratar da despoluição da lagoa está agendada para o dia 14 de agosto, no Teatro Municipal de Cabo Frio.

Fonte Cristiane Zotich

COMPARTILHAR