Região dos Lagos terá participação nos US$ 1,05 bilhão que Olimpíada deverá movimentar em turismo

Gruta Azul em Arraial do Cabo é um dos pontos mais visitados da região


Serão de 300 a 500 mil visitantes estrangeiros, que devem gastar pouco mais de US$ 2 mil cada.

Os Jogos Olímpicos Rio 2016 deverão movimentar até US$ 1,05 bilhão em turismo, apenas no que se refere a visitantes estrangeiros. Cálculo leva em consideração a previsão do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur) de que o Brasil receberá entre 300 e 500 mil pessoas de fora do país e levantamento do Ministério do Turismo que calculou o gasto médio do estrangeiro durante a Copa do Mundo de 2014: US$ 2.099,00.

Para o gestor de câmbio da Treviso Corretora, Reginaldo Galhardo, o gasto médio em turismo deve ser um pouco maior, de US$ 3 mil por pessoa. Nesse caso, a movimentação financeira final poderá atingir US$1,5 bilhão.

A entrada de dólares no Brasil certamente terá aumentos significativos durante o evento. Na visão de Vinícius Lummertz, presidente do Embratur, o fluxo de câmbio que o evento trará é positivo, mas não garante a desvalorização da moeda norte-americana frente ao real. Representantes do mercado financeiro concordam. Para Galhardo, o ingresso da moeda já é esperado, o que faz com que provavelmente não afete as cotações.

aeroporotoCaboFrioA plataforma online Airbnb se tornou fornecedora oficial dos Jogos Olímpicos de 2016 e hoje aceita cartões de crédito nacionais, boletos e parcelamento. Estima-se que, sozinha, ela oferecerá entre 60 e 80 mil leitos. O presidente do Embratur ainda lembra que locais próximos à capital também serão procurados, estimulando o turismo de cidades como Petrópolis, Teresópolis, Búzios, Cabo Frio e Angra dos Reis. “A situação é bastante confortável”, comenta.

Lummertz considera o turismo uma verdadeira usina de negócios e opina que a consciência de sua importância é recente no país. “Esse é um setor em que o Brasil pode ser tão competitivo como é no agribusiness”, ressalta. Ele ainda afirma que melhorar a imagem brasileira contribui para a valorização do que é produzido aqui. “Você compra um produto associado à imagem do país”, defende.

Segundo estimativas do Embratur, o país receberá de 300 a 500 mil visitantes estrangeiros durante as Olimpíadas. A projeção de visitantes domésticos, por sua vez, fica a cargo do Ministério do Turismo. Ainda não há dados oficiais, pois as vendas de ingressos não foram finalizadas, mas Lummertz, que também é ex-secretário nacional de Políticas do Turismo, opina que esse número ultrapassará a marca de 1 milhão. De acordo com o Comitê Rio 2016, três milhões de ingressos já foram vendidos: dois milhões para o público local e 1 milhão para fora do Brasil. Isso corresponde a 50 e 40% do total de entradas, respectivamente.

Segundo a Empresa Olímpica Municipal, apenas a “Família Olímpica” – formada por funcionários credenciados, desde jornalistas até árbitros e membros do Comitê Olímpico Internacional – responderá por 37 mil vagas em hotéis, além de 7,4 mil quartos em Vilas de Acomodação. A alta procura exigirá formas alternativas de acomodação, que já foram estudadas pelas entidades competentes.

Luciano Moreira

COMPARTILHAR