Procon descarta mais de 350 kg de alimentos impróprios em Arraial do Cabo

Procon descarta mais de 350 kg de alimentos impróprios em Arraial do Cabo
Procon descarta mais de 350 kg de alimentos impróprios em Arraial do Cabo

Procon descarta mais de 350 kg de alimentos impróprios em Arraial do Cabo

O Mercado Só Ofertas e duas filiais dos supermercados Princesa foram autuados. Os gerentes dos três estabelecimentos foram detidos.

O Procon Estadual esteve em Arraial do Cabo nesta quarta-feira (03/02) em uma operação conjunta com a Delegacia de Defesa do Consumidor (Decon), a 132ª DP e a Secretaria de Ordem Pública de Arraial do Cabo (Seop). Os fiscais vistoriaram três supermercados que foram alvo de denúncias. A Operação Bloco do Sujo autuou todos por más condições de higiene e de armazenagem de alimentos, entre outros problemas. Os gerentes dos estabelecimentos vistoriados foram detidos e encaminhados a 132ª DP para prestar depoimento. Foram descartados mais de 350kg de alimentos impróprios ao consumo.

No Mercado Só Ofertas, localizado na Praça da Bandeira, na Praia dos Anjos, os fiscais encontraram 330 kg de carne bovina, 1kg e 500g de mistura de pizza e 290g de chã vencidos, além de sete caixas de ovos suspeitos, em que alguns estavam quebrados e com a presença de larvas. As câmaras frias de salgados e de carnes, na padaria do mercado, estavam com pisos rachados e prateleiras enferrujadas. Os fiscais deram o prazo de 30 dias para sanar essas irregularidades e 48 horas para apresentar o novo alvará de funcionamento do estabelecimento. O alvará existente é provisório e está vencido desde dezembro de 2014. A fiscalização também determinou o reforço da dedetização.

{loadposition tague}

Já no Supermercado Princesa, localizado na Av. Getúlio Vargas, 101, no Centro de Arraial do Cabo, os fiscais encontraram 10kg de bacalhau vencidos, 1kg de verduras sem especificação do prazo de validade, além de 9kg e 100g de carnes bovinas e 2kg e 400g de carne suína mal acondicionados, em desacordo com as normas de armazenamento do fornecedor. Não havia preço em alguns produtos. Garrafas de água e de refrigerante também estavam em contato direto com o chão. Foram descartados 60 litros de água em garrafões e panela suja em contato direto com o chão que seria utilizada para fazer pães. Os fiscais ordenaram que produtos que estavam em contato direto com o chão fossem colocados sobre paletes. As câmaras frigoríficas deverão ser limpas, ter os pisos quebrados consertados e os paletes, que eram de madeira, trocados – tudo em até 15 dias.

Os fiscais determinaram que salgados expostos à manipulação dos consumidores no Supermercado Princesa fossem embalados, seguindo o que determina o art. 21 da Lei Estadual n° 6538/83. O certificado de potabilidade da água, que não foi encontrado pelos fiscais, deverá ser apresentado na Autarquia em 15 dias e o alvará, que estava vencido desde 2014, no prazo de 48 horas. O Livro de Reclamações não autenticado pelo Procon.

No Supermercado Princesa, localizado na Av. Getúlio Vargas, 06, também no Centro, os fiscais encontraram grande quantidade de moscas e determinaram que fosse implantado um sistema de combate a esses insetos.

Fonte ProconRJ

{loadposition facebook}

COMPARTILHAR