Primeiro Museu do Sal do Brasil começa a ser construído em São Pedro da Aldeia

Salinas de São Pedro da Adeia (cesar Valente)

Um convênio entre a prefeitura e o Ministério do Turismo possibilitou a implantação O local irá reunir a memória histórica do trabalho em salinas, que foi por muito tempo uma das principais atividades econômicas do município e da Região dos Lagos.

O Museu do Sal terá como missão resgatar, preservar e divulgar o patrimônio material e imaterial relativo à atividade salineira na cidade. O projeto conta com captação de água da chuva para abastecimento de dois tanques de água e uso de energia eólica para abastecer a casa e a praça da entrada através de moinhos. O Museu contará também com piso tátil para deficientes visuais e pessoas com baixa visão, além de rampas.

O projeto contempla ainda duas salas de exposição, sala de administração e manutenção do acervo, copa de apoio, recepção e loja, cafeteria, banheiros com acessibilidade, área de lazer com bicicletários, bancos em formas de cubos, deck de madeira e moinhos, entre outros. A construção do museu vai utilizar a estrutura da casa já existente no terreno de 2.315,84m², localizado na RJ 106 ao lado da UPA, doado pelos antigos proprietários, Jacyr Matos e Sônia Maria de Oliveira. A área passa por preparação de terreno, retirada de telhado e construção do galpão de obra.

O Prefeito Cláudio Chumbinho fala sobre o empreendimento inédito no Brasil. “Sabemos da importância das salinas para a Região dos Lagos e nossa cidade sai na frente fazendo esse resgate histórico. Vai ser um local de turismo aliado a aprendizado”, disse o prefeito.

De acordo com o projeto, o museu contará com a Sala de Exposição Salinas e a Sala de Exposição Senzala, que serão interligadas. Na circulação, um rasgo de vidro irá mostrar a estrutura original de madeira que apoia assoalhos e paredes da casa. O visitante poderá ver a salina no entorno, com seus barracões, pela Sala Senzala e passeando pela área de lazer, complementar à casa.

Subsecretária de Urbanismo, Lis Valladares explica o que o projeto é pioneiro no país. “Esse é o primeiro Museu do Sal do Brasil, nós somos os primeiros a contar essa história num país que se estabeleceu há muito tempo nessa economia. Iremos usar a estrutura já existente na área, colocar vidro, recuperar o piso original em alguns trechos e investir no urbanismo do local. A casa, nosso objeto de restauro para instalação do museu, carrega uma história extremamente relacionada com a atividade salineira na região. O projeto contempla também uma frente bem moderna com materiais rústicos, piso de madeira e caminhos que vão levar o visitante até o local”,falou.

O projeto envolve restauração, urbanismo e paisagismo, com a proposta de oferecer ao visitante uma experiência simples e objetiva. O acervo do Museu do Sal de São Pedro da Aldeia está sendo montando pelo Historiador da Cultura e do Patrimônio da Secretaria Municipal de Turismo, Cultura e Lazer, Geraldo Ferreira, ao lado do historiador voluntário Ricardo Carmo.

Atualmente, a dupla estuda a futura dinâmica do local, pensando além do acervo permanente. O espaço também poderá ser usado para realização de eventos. O acervo a ser resgatado e exposto inclui registros fotográficos do trabalho em salinas e dos pioneiros da atividade em São Pedro da Aldeia, documentos relacionados ao comércio do sal e entrevistas com descendentes ou pessoas ligadas diretamente à atividade salineira, entre outros itens. Também fará parte do Museu aldeense equipamentos como pá, rodo, vassoura, carrinho de mão, arado, ancinho, bombas d’água, moinhos e demais instrumentos relativos à prática.

Fonte PMSPA

COMPARTILHAR