Prefeitura vê a chegada do shopping com “bons olhos”

Shopping vai ocupar a última área verde livre proxima ao centro de Cabo Frio

(Novembro/2010) O secretário de Desenvolvimento da Cidade e Ambiente de Cabo Frio, Gustavo Beranger, não só confirmou o empreendimento, cuja construção deverá ser iniciada em abril próximo, como deixou claro que se trata de algo excelente para Cabo Frio, “considerando-se o nível de crescimento em que a cidade se encontra”. Ele disse ver com “bons olhos” a chegada do empreendimento que será um dos mais modernos no país, cumprindo, inclusive, funções educacionais a exemplo de alguns existentes nos EUA e Europa.

“Todo mundo reclama que quando chove não se tem o que fazer na cidade”, disse ele, argumentando que, de fato, com cerca de 180 mil habitantes, o município não dispõe de áreas cobertas para o lazer da população.

Segundo informou à Revista Cidade, a empresa apresentou uma licença provisória do Inea e fez uma apresentação detalhada do projeto numa reunião na prefeitura. Mas esta deverá apresentar toda a documentação exigida por lei. Ele reconheceu a necessidade de uma análise sobre o estudo de impacto diante da cidade, “não só na área de lagoa, mas na de trânsito”. Mas do ponto de vista do desenvolvimento e do avanço, considerou “um equipamento importante, que com os cuidados naturais da administração pública, para preservar a qualidade de vida de todos, vai ser um grande empreendimento para Cabo Frio”.

“A nós, como poder público, cabe administrar dentro daquilo que interessa à cidade e vamos tentar cercar o projeto com os cuidados necessários para termos um empreendimento positivo em Cabo Frio”, completou.

Em resposta a uma indagação de CIDADE, se a prefeitura nunca teve interesse em utilizar o local, última área verde livre proxima ao centro da cidade, para algum um projeto municipal de uso público, Gustavo Beranger declarou que o município chegou a pensar em construir no local o Centro de Convenções, “mas por achar uma área de melhor acesso e mais barata, optou-se pelo lado de lá”.

Perguntado ainda sobre boatos de outro shopping na área da antiga Sendas, na entrada da cidade, Beranger confirmou o interesse de um grupo, porém garante que tudo não passou de uma consulta preliminar. “Surgiu sim a pergunta, mas não se falou mais nisso. A gente não tem acesso a isso, é o tempo deles”, comentou, acrescentando não saber “se caberia mais um shopping na cidade”.

“Não nos cabe analisar isso como poder público. É uma questão de viabilidade econômica dos grupos. Estão buscando isso aí. Não sei se caberia mais um shopping a na cidade, mas não caberia a mim decidir isso”, concluiu.

(Textos: Paula Maciel)

Novembro/2010

COMPARTILHAR