Prefeitos irão realizar ato público pela retomada das obras do Comperj

Comperj tem sido alvo de denúncias da Operação Lava Jato


As perspectivas pessimistas acerca da retomada das obras no Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj) motivaram dez prefeitos do estado a promover um ato público, que será realizado na próxima segunda-feira (24), para pressionar o governo e a Petrobrás pelo reinício das operações na refinaria do complexo. Os políticos tomaram a decisão na última semana, em reunião do Consórcio Intermunicipal do Leste Fluminense (Conleste), e terão como objetivo trazer foco às atividades paralisadas na instalação, que já tem 82% de suas obras concluídas. O ato, aprovado unanimemente pelos presentes na reunião, acontecerá às 14 horas, em frente à sede da estatal no Rio de Janeiro.

Com o novo plano de negócios da companhia, a tendência é de que a retomada das operações no complexo seja posta de lado, ao menos por enquanto. A empresa vem buscando parcerias internacionais para concluir as obras, mas ainda não se compromete em definir prazos ou datas para a reativação das instalações. O prefeito de Itaboraí, Helil Cardozo, debateu as perspectivas de retomada da construção em uma reunião nesta semana com o presidente da Petrobrás, Aldemir Bendine, que reafirmou o posicionamento da estatal.

Reeleito como presidente do Conleste na semana passada, Cardozo explica que o objetivo da manifestação é sensibilizar o governo e a Petrobrás acerca da situação difícil por que passa o complexo industrial atualmente. De acordo com ele, é fundamental que ao menos a refinaria seja construída em meio ao descarte que tem sido dado ao Comperj como um todo.

Petronotícias

COMPARTILHAR