PARTE 3 – O AUTOCONHECIMENTO

Nessa parte vamos explorar a ideia de que para você construir seu futuro conscientemente, é necessário o autoconhecimento.
Essa estória de espaço futuro, é interessante, mas pode despertar pouco interesse. É necessário apontar as vantagens e os benefícios de se usar este conceito no dia a dia.
O conceito atual de futuro é de acontecimentos que vão ocorrer no tempo à frente.
Exemplos, os feriados, as festas de natal, ano novo, os aniversários, os jogos de futebol, etc. Estes são acontecimentos conhecidos. Existem outros, as férias, as viagens, os casamentos, etc. Existem os acontecimentos desconhecidos e que as pessoas gostariam de saber de antemão, os assuntos mais procurados são o amor, as guerras, a morte, a fortuna. A morte nem tanto, porque assusta.
Jurema, a esposa, ao cair da tarde, procurou a cartomante.
Ela já vinha há algum tempo pensando em fazer isso, desde que Isabel, sua amiga e vizinha havia falado muito bem de como a cartomante havia acertado sobre sua história, etc. Na ocasião, Jurema, ficou muito entusiasmada, mas, com o passar dos dias, esse interesse esfriou. Entretanto, agora após alguns incidentes em casa com seu marido, ela se animou, embora esses incidentes viessem se repetindo há anos. Assim meio como que desesperada ela decidiu jogar os búzios, ou ver as cartas.
Ela não saiu animada da consulta. Voltou para casa e logo que o marido chegou do trabalho, ela contou da sua consulta e resumiu para ele o que ouviu lá: se você tivesse nascido duas horas mais tarde, você teria sido um marido generoso, paciente e amoroso!
Ela não foi lá para saber do passado ou do presente, Foi para ver seu futuro. Mas as cartomantes sempre falam do passado, para despertar a confiança da cliente, para quando ela falar do futuro.
Mas, a conversa sobre o passado, não gerou a confiança necessária e assim Jurema saiu da consulta sabendo que o futuro já estava traçado pelos acontecimentos do passado. Havia uma forte esperança de que as coisas poderiam melhorar, mas o futuro geralmente é uma continuação do passado, e assim sua vida iria continuar tendo que conviver com aquele marido.
Nosso interesse no futuro pode se mascarar com coisas da política nacional, ou internacional, ou na violência que aumenta a cada dia, etc., mas no fundo o que nos interessa são as coisas que dependem de cada um de nós. Nesse caso a parte mais importante dessa estória de futuro é o minuto seguinte seu, porque significa que você terá de começar a agir já.
Pensando assim já modificamos o conceito anterior de futuro. Se o acontecimento em que você está interessado em saber o futuro é dependente de você, então o futuro não é você ficar olhando ‘a frente lá longe, mas é você olhar o minuto seguinte.
Olhar como? Agir como? Olhar o que?
Olhar primeiramente o passado. Olhar o passado como?
Olhar com curiosidade, olhar um passado que você não costuma olhar, ou que talvez nunca olhou. É quase certo que você quando olha o passado, você destaca as coisas desagradáveis, as coisas cujas lembranças trazem emoções negativas, trazem o desprazer. Pode até ser que alguns eventos te fazem dizer, “se eu pudesse voltar, eu faria de outro modo, ou gostaria tanto de poder voltar e fazer de uma maneira diferente, muito melhor ou com sabedoria.”
Existem algumas pessoas que insistem em dizer para não ficar pensando no passado, o passado já passou, morreu, apague ele, esqueça ele, etc. Outras dizem, imagina que você é um automóvel, e se você ficar olhando para traz, é fácil imaginar o que vai acontecer. Assim olhe para frente. È pra a frente que se anda!
De fato, se você ficar com frequência rememorando os insucessos, as brigas, as desgraças, os sofrimentos, os resultados negativos do passado, você estará se infernizando e estressando e isso vai sempre piorando, podendo até chegar a uma depressão.
Mas, existe uma maneira positiva e boa de olhar o passado, que é olhar sempre como um aprendizado. Mesmo as lembranças ruins devem e podem ser olhadas dessa maneira e você ver o que aprendeu na ocasião. Nosso cérebro tem prazer em aprender.
Mais ainda, olhando o passado dessa maneira, você estará fazendo um AUTOCONHECIMENTO, estará tomando conhecimento de como você conduziu a sua vida e do por que dos resultados obtidos dessa ou daquela maneira.
Você pensa que não pode voltar e mudar o passado, mas fazendo assim, você está voltando e mudando o passado, transformando ele num aprendizado e melhor ainda, vai passar a criar os resultados futuros agora de uma maneira melhor e com mais sabedoria.
Volte sempre ao passado, e cada vez que você fizer isso, você estará se dando uma segunda chance. Para cada lembrança, associe um aprendizado. Não estou falando de aprendizado de como amarrar o sapato, ou como tomar banho, etc, estou falando de aprendizado de como lidar com suas emoções, de como se relacionar melhor.
Isto se chama autoconhecimento!
Após esse olhar ao passado, você estará mais apto a olhar o seu futuro porque você já tem uma idéia de como você costumava agir e de como escolheu agir agora.
Mas para conhecer o seu futuro, ou seja, o seu dia de amanhã você vai usar a sua consciência, e olhar o que a sua imaginação está criando.
Sua imaginação está constantemente imaginando, isto é está sempre construindo imagens e ou filmes, e ela faz isso seguindo uma programação automática de acordo com suas experiências e aprendizados. Assim olhando o seu passado você tem uma idéia de como é a sua programação automática.
Com esse conhecimento e com o uso de sua consciência você poderá escolher e mudar essa programação automática e imaginar e construir o resultado que te interessa, isto é, um futuro diferente. Futuro emocional diferente, que te fará se sentir melhor, com mais momentos felizes e principalmente com mais opções interessantes para você e para os seus relacionamentos.
Não será necessário você ir à cartomante!
Você pode construir seu futuro com uso da sua imaginação de forma consciente e isso é o que vamos ver a seguir.
Na PARTE 4 nós vamos especular como foi que a natureza e a evolução dotaram nosso cérebro com a imaginação e criaram meios para nossa sobrevivência num meio ambiente hostil.
ATÉ MAIS
José Augusto Sathler

COMPARTILHAR