OPINIÃO > RENATO SILVEIRA: Qual a religião em que se encontra a verdade?

Da esquerda para direita: um padre católico, um rabino, um muçulmano, um hare-khrisna, uma mãe-de-santo, um índio e um pastor protestante
Renato Silveira
Que a religião é algo de foro íntimo, ninguém duvida. Cada um, em sua denominação religiosa, ou mesmo que não pratique nenhuma e até os ateus, acreditam na fé que professam. Diante disso, temos um problema: quando um cidadão seguidor de alguma corrente religiosa chega ao poder. Se os assuntos não forem misturados, tudo costuma correr bem. Mas se de alguma forma ele deixar que sua fé interfira em seu modo de governar, podemos vislumbrar uma crise.
Renato Silveira
Por que um cidadão que não crê em determinados dogmas é obrigado a seguir em sua vida crenças alheias? Por que ele pode ser impedido de ir a um museu ou assistir a algum espetáculo só porque o outro acha, baseado em sua fé, que não deve fazê-lo? Por que deve formar famílias de acordo com o que o governante acredita?
Isso fere de maneira tão gritante o direito da livre escolha que, por lei, não é permitido. Mas algumas pessoas insistem em passar por cima das regras e decidir o que podemos ou não assistir, com quem e como casar, como ter filhos, como não ter, enfim, decisões tão individuais como a escolha da religião.
DO MESMO AUTOR: Redes sociais revelam a intolerância que domina o país
Imaginemos, por exemplo, alguns países do Oriente Médio que seguem o Islã como religião oficial. Se por acaso você nascer lá e não acreditar em nada daquilo, azar o seu. Terá de seguir do mesmo jeito. Pense em como seria sua vida. Pois tem gente no Brasil querendo impor a fé à força. E com grande número de seguidores.
Não se trata apenas de agentes religiosos que chegam ao poder e agem desta forma. Dentro de suas denominações, convencem aos que professam a mesma fé de que deve ser assim. E ganham adeptos para essa agressão ao Estado Laico.
Hoje, vemos pipocar esse problema em todos os cantos. Mas pela garantia de nossa liberdade de existir plenamente, devemos lutar contra esse tipo de coisa. Antes que seja tarde e o desrespeito ao indivíduo, que já é grande nesse país, assuma uma face ainda maior e mais perigosa.
COMPARTILHAR