O CORAÇÃO TEM RAZÕES

O coração é o símbolo das emoções. Desde os tempos antigos que se usa esse órgão maravilhoso para simbolizar as paixões, tanto as boas como o amor, a amizade, a compaixão, os sonhos que produzem milagres, como também o ódio, a raiva, o medo, o ciúme avassalador e outras.
Pode-se especular essa ligação se você se lembrar de que os atos que chamam a atenção, os comportamentos que fogem da rotina, estão ligados ao comportamento do órgão coração.
Todas as grandes emoções cutucam imediatamente o órgão, fazendo-o trabalhar mais depressa e com mais pressão, alem disso, em muitas situações provocadas pelas emoções muito fortes em que ele trabalha de forma muito estressada, ele transmite um grande desconforto que faz você se sentir mal e nessas condições ele pode se entregar e se danificar e às vezes pode até parar.
Mais que isso, o coração é também o símbolo da vida. E o que é a vida?
A vida é movimento, é estar parado, é dormir, é comer, é beber, é ler, é trabalhar, é amar, é gostar, é tudo que se faz, e tudo é feito com emoções, e assim pode-se dizer que a vida é emoções, ou que viver é estar sentindo emoções.
Seja onde for, nos trópicos calientes, ou na calota polar gelando, ou nas grandes metrópoles, ou no interior rural, ou na sala de aula, ou numa sala de concertos, ou num show de qualquer tipo de musica, ou num estádio de futebol, ou num quarto de hotel, ou numa igreja, tudo é feito com emoção ou melhor dizendo, são as emoções que fazem você se movimentar, que fazem você agir, são as emoções que fazem a vida!
Parece simples mas não é.
E não é porque você, isso mesmo, você que está lendo agora, sabe que naquele dia, naquela hora, naquele lugar, você se descontrolou e se comportou horrivelmente!
Alem disso, sabe que você não consegue evitar que suas emoções muito fortes assumam o controle. Às vezes você chora, às vezes você beija, às vezes você se desespera, às vezes você está no paraíso, às vezes você está no inferno!
Não, não é simples!
“O coração tem razões que a própria razão desconhece.” O grande Blaise Pascal disse-o nos idos de 1630, e estava com a razão quando a pronunciou!
Como é que pode a razão não entender a própria razão?
Como foi que isso aconteceu? Como foi que a evolução produziu essa contradição?
Perguntei a um amigo sábio que me deu uma resposta interessante, “a evolução ainda não terminou, não acabou, ela continua e não tem nada que indique que ela vai terminar um dia. Assim, nós somos projetos pilotos em fase de experimentação e testes. Certamente daqui a um milhão de anos seremos bem diferentes e possivelmente melhorados”.
Aí, você ouve esta resposta e manda o sábio lamber sabão, porque você quer ser um cara melhor agora!
Você não quer mais se enfezar com o político safado e ladrão, não quer se enfezar com seu filho, nem com a cunhada, nem com a amada, nem com o motorista que lhe deu uma fechada. Você não quer ficar correndo o risco de acelerar demais o seu coração de aumentar muito a pressão. Você quer se sentir bem a maior parte do tempo.
O que fazer?
Existe uma gama bem grande de soluções atrativas, desde encher o copo, passando por terapias, encher o prato, passando por religiões, por yoga, por academias de ginástica, por trocando a cidade pelo campo, pelas agencias de turismo, pelos divórcios, etc. são tantas as soluções que basta entrar numa livraria e olhar os milhares de títulos nas prateleiras.
Essas soluções já existem há dezenas, centenas de anos e como não resolveram a contradição, novas soluções estão sempre aparecendo.
Até quando não se sabe, provavelmente ad eternum e continuamos vendo que a famosa frase continua bem viva, agradando a muitos que ganham dinheiro com ela e desagradando a todos nós que estamos sofrendo com ela.
“O coração tem suas razões que a própria razão desconhece”.
Talvez um dia muitos cheguem a perceber como funciona esse negocio de a razão ou o raciocínio entender e compreender as razões do coração.
Existem caminhos a seguir.
Um deles é usar a razão e raciocinar e entender o processo, entender o por que da ação, do comportamento que incomoda. Nesse ponto a lei das razões diz que quando você raciocina e entende, você está apto a reproduzir a solução. Aliás, esse deve ser o critério para você saber se raciocinou corretamente, pois, se aquele resultado ruim, aquele comportamento abominável se repetir, você pode estar certo de que ainda não compreendeu as razões do coração, isto é, sua razão está seguindo um caminho errado. Isto parece complicado, mas é uma situação bastante conhecida quando você esta viajando de carro por uma região desconhecida e você decide entrar por uma estrada e depois descobre que se enganou e tem de voltar e entrar pela outra estrada.
A outra estrada pode ser que em vez de você perguntar porque? Você pergunte como? Lembra-se das receitas de culinária, em que o como é fundamental senão dá errado? Pois é, o como permite entender o processo, em vez do por que.
Mas tem de ser um entendimento correto, porque em 99,99% dos casos, o sujeito entende que seu comportamento abominável foi provocado pelo outro.
Ora, assim não dá, porque você fica na dependência de um fator externo poderoso, e você vai continuar sendo um abominável.
Mas não se esqueça de que as razões do coração são suas emoções, e então outro caminho para entender você, é raciocinar assim, eu sou basicamente um ser emocional e eu necessito conhecer as minhas emoções, isto é, como é que eu estou usando elas e neste caso o como entrou novamente!
Fazendo assim você vai começar a entender as razões do seu coração e também as razões do coração dos seus entes queridos, amigos e é claro dos inimigos, se você tiver algum.
É um caminho porque você vai ficar nele sempre. No começo, um pouco estreito e desconfortável, mas à medida que o tempo passa ele vai se tornando melhor, mais largo e as paisagens cada vez mais bonitas.
Não desanime, não seja passivo frente às razões do seu coração, seja ativo e procure entende-lo. Ele existe para o seu bem estar e suas razões(emoções), são todas para proteger você das ameaças e dos sofrimentos. Ameaças são na maior parte a causa dos sofrimentos e elas devem ser entendidas pela razão, pelo raciocínio e assim você estará ajudando o seu coração e protegendo-o dos excessos, das emoções exageradas que o fazem trabalhar com alto risco. Você estará protegendo você!
Se sua razão achou esta explicação um pouco ou muito sem razões, leia de novo para saber onde está a razão. Ou então esquece esse negocio de razões e foque sua atenção nas suas emoções.
“O coração tem razões…”

ATÉ MAIS.[

COMPARTILHAR