Mutirão tenta limpar Lagoa de Iriry da invasão de algas verdes

Mutirão tenta limpar Lagoa de Iriry da invasão de algas verdes
Mutirão tenta limpar Lagoa de Iriry da invasão de algas verdes

Mutirão tenta limpar  Lagoa de Iriry da invasão de algas verdes Lagoa de Iriry, em Rio das Ostras, tomada por algas verdes (Mauricio Rocha)

A Lagoa de Iriry, em Rio das Ostras, foi palco nesta terça, dia 27, de um mutirão que reuniu esforços de diversas secretarias municipais para retirar a vegetação que ocupa o local. A operação contou com a participação de secretários e técnicos das secretarias do Ambiente, Obras, Segurança Pública, Serviços Públicos, Esporte e Lazer, Transportes Públicos e Bem-Estar Social, além de membros da Defesa Civil do Município. A iniciativa também recebeu o apoio de frequentadores e quiosqueiros do entorno da Lagoa.

Nos últimos dias, devido a mudanças climáticas, houve a proliferação de plantas conhecidas como “alface de lagoa”, que são erroneamente confundidas com gigogas. Essa vegetação tem seu papel natural, funcionando como filtro de água na Lagoa de Iriry.

Para realizar o trabalho de retirada do excesso de vegetação, funcionários da Prefeitura utilizam duas retroescavadeiras e um caminhão da Secretaria de Obras. A previsão é de que a operação dure de três a quatro dias. Também estão sendo utilizadas telas de arame e ferramentas de jardinagem para recolher as plantas.

{loadposition tague}

REDE DE CONTENÇÃO – De acordo com frequentadores do local, no último domingo, dia 25, a rede de contenção de vegetação da Lagoa de Iriry foi rompida, o que agravou o problema. “Nossos técnicos colocaram a rede para conter o crescimento das plantas, mas infelizmente foi cortada novamente. A Secretaria colocou placa solicitando aos turistas e moradores que não retirassem ou cortassem esta rede. A população precisa colaborar com a Prefeitura. Equipes de diversas secretarias foram retiradas de seus afazeres para atuar no mutirão”, destacou o Secretário do Ambiente, Nivaldo Talon.

Além do rompimento da rede, as mudanças climáticas verificadas nos últimos meses também contribuíram para o crescimento das “alfaces de lagoa” no local. “Todo ano as chuvas rompem a Lagoa e renovam suas águas automaticamente. Nos últimos meses não tivemos esta ação e o problema de proliferação destas plantas na Lagoa de Iriry se agravou”, completou o secretário Nivaldo.

A quiosqueira Maria Gorete Calvet, que trabalha na Lagoa de Iriry há 17 anos, elogiou a iniciativa da Prefeitura. “Precisamos retirar esta vegetação da água o quanto antes para que os turistas voltem a frequentar o local na alta temporada. Nós, quiosqueiros, devemos garantir nossas vendas”, ressaltou.

A lagoa acaba de receber a certificação “Bandeira Azul” da internacional FEE – Foundation for Environmental Education (Fundação para Educação Ambiental). A certificação é dada por um júri internacional, a partir de critérios como balneabilidade, estrutura de serviços, acessibilidade e respeito ao meio ambiente

Fonte PMRO

{loadposition facebook}

COMPARTILHAR