Matou a pau

A presidenta poderia ou deveria perder seu mandato por incompetência, mas não por irresponsabilidade fiscal. Infelizmente a primeira alternativa não consta na Constituição Federal.

A honestidade intelectual exige que sejamos moral e eticamente favoráveis aos argumentos apresentados pelo Ministro da Fazenda na sua apresentação aos membros da Comissão da Câmara de Deputados que examina o pedido de impedimento da presidenta.

O ministro foi claro e objetivo conduzindo à conclusão de que a presidenta da República não cometeu crime de responsabilidade em 2015.

Os autores do pedido de afastamento confundiram alhos com bugalhos.

O presidente da Câmara de Deputados deveria ter sido mais cuidadoso ao aceitá-lo. De fato, deveria tê-la rejeitado.

Ernesto Lindgren
CIDADE ONLINE
31/03/2016

{loadposition facebook}

COMPARTILHAR