Macaé 202 anos: de Princesinha do Atlântico a Capital Nacional do Petróleo

No próximo dia 29, Macaé comemora 202 anos da criação da Vila de São João de Macaé. O ano era 1813, e de lá para cá muita coisa mudou. A cidade cresceu, se desenvolveu e alcançou o status de Capital Nacional do Petróleo.

A historiadora do Solar dos Mellos, Conceição Franco, explica as atividades econômicas mais importantes na cidade, anteriormente chamada de Princesinha do Atlântico. “Na década de 1970, quando a Petrobras chegou a Macaé, as atividades econômicas mais fortes eram a agricultura, a pecuária, o comércio e a pesca”, destaca, acrescentando que nos primórdios da formação da localidade, a economia se baseava nos currais e na lavoura.

Em determinado momento, sua principal esfera econômica foi a plantação de cana-de-açúcar e nos fins do século XVIII, a lavoura de café. Hoje, a cidade tem como principal atividade econômica a indústria de exploração de óleo e gás, mas também são fortes os atrativos para o turismo, como a região serrana com suas cachoeiras e montanhas e as atrativas praias e ilhas.

De simples vila de pescadores e de pequena cidade de interior Macaé se transformou numa cidade cosmopolita. Junto com o vento maroto mistura-se o som dos muitos idiomas de pessoas que vieram atraídas pela pujança do ouro negro e se mesclaram aos nativos para construir a Macaé de hoje.

Fonte PMM

COMPARTILHAR