Joana “Janaína” d´Arc

O mal está feito. Janaína Pascoal será lembrada como a cidadã que decidiu formular o pedido de impedimento da presidenta, representando 204 milhões de brasileiros. Ela é, agora, o quarto pilar que sustenta o pedido.

A crise econômica se agravará, independe de quem será o presidente da República: Dilma ou Temer.

Janaína Pascoal estaria se esforçando para se tornar a principal personagem na discussão no tumultuado pedido de impedimento da presidenta. No seu depoimento na Comissão do Senado, em 28/04, poderia ter levado uma plaquinha exibindo seu nome e número do telefone celular. Prováveis clientes necessitando de assistência jurídica anotariam o número do telefone para fazerem contato e marcarem consulta no seu pequeno escritório de advocacia.

A advogada Janaína Pascoal terá que assumir a responsabilidade no agravamento das crises política e econômica, que ocorrerão independentemente do resultado do julgamento no Senado.

Agora é tarde demais para retroagir e indeferir o pedido de impedimento pelo presidente na Câmara de Deputados ou de avançar e estacá-lo na Comissão Especial do Senado, ou aprovar para o julgamento pelos 81 senadores.

O mal está feito. Os próximos dois serão tumultuados, com a manutenção do mandato da presidenta ou com seu afastamento pelo prazo de até 180 dias. O vice-presidente Michel Temer, alçado à presidência, terá como base parlamentar, na Câmara de Deputados, a mesma que base que, teoricamente, era a base de apoio da presidenta.

O julgamento do pedido de impedimento da presidenta, cujo principal redator foi a advogada Janaína Pascoal, tornou-se no Maior Espetáculo na História do Brasil, sendo lamentável não haver um jurista do calibre de Rui Barbosa para examiná-lo.

O que seriam imbecilidades, embutidas nos pronunciamentos de personagens a favor e contra o pedido, ficarão para sempre gravados nos anais do Congresso Nacional e na memória dos brasileiros.

Nada mais estúpido.

Ernesto Lindgren
CIDADE ONLINE
29/04/206

COMPARTILHAR