Fim de ano pode aumentar número de doenças cardiovasculares

Fim de ano pode aumentar número de doenças cardiovasculares
Fim de ano pode aumentar número de doenças cardiovasculares

Fim de ano pode aumentar número de doenças cardiovasculares

Fim de ano combina com festas, fartura, encontros e animação. É um período que muitas pessoas reservam para descansar do dia a dia, colocar a vida em ordem, refletir e aproveitar os momentos em família e com amigos. Por outro lado, o mês de dezembro é um mês estressante para os trabalhadores: fechamento de meta, balanço nas empresas, projetos e planejamentos para o próximo ano.

Um estudo realizado pela Universidade da Califórnia, que analisou 53 milhões de mortes do coração que ocorreram nos EUA entre 1973 e 2001, mostrou um maior número de mortes entre os meses de dezembro e janeiro, com picos durante o Natal e Ano Novo.

{loadposition tague}

“As emoções e os hábitos relacionados a esta época do ano têm efeito direto no coração, principalmente para aqueles que já têm propensão às doenças cardíacas. Este fenômeno tem até uma expressão nos Estados Unidos, chamado de Holiday Heart Syndrome, que representa o conjunto de fatores que podem desencadear problemas de coração e até um ataque cardíaco nesta época do ano”, afirmou o cardiologista da Unicor Macaé, Matheus Sigiliano Carneiro.

O cardiologista João Alexandre Farjalla, também da Unicor, destacou que o excesso de bebida alcoólica e comida estão diretamente ligados a esses índices. “É muito comum durante o plantão de Natal recebermos pessoas com quadro de síncope e arritmia. As pessoas abusam, bebem e comem mais que o normal e acabam prejudicando o coração”, explicou.

Um outro problema enfrentado nesta época do ano são as fortes emoções. Muitas pessoas se reencontram, se reconciliam, brigam, se obrigam a ser felizes quando na verdade não estão e todas essas emoções influenciam na saúde do coração. Para isso, o cardiologista Matheus dá a dica: “É melhor pensar em todas as coisas boas que o ano de 2015 ofereceu, tirar lições dos problemas e receber 2016 cheio de alegrias, com pensamento positivo e boas expectativas”, concluiu.

Fonte Tathiana Campolina

{loadposition facebook}

COMPARTILHAR