Entidades médicas denunciam pior crise na saúde pública do Rio de Janeiro

Entidades médicas denunciam pior crise na saúde pública do Rio de Janeiro
Entidades médicas denunciam pior crise na saúde pública do Rio de Janeiro

Entidades médicas denunciam pior crise na saúde pública do Rio de Janeiro

O Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (Cremerj) e outras entidades do setor de saúde denunciaram no dia 22 de dezembro o que chamaram de a pior crise na saúde pública já vivida no estado. Os detalhes foram passados em entrevista coletiva, na sede da entidade.

Segundo o presidente do Cremerj, Pablo Vázquez, o conselho tem recebido diversas denúncias de redução de leitos, fechamento de emergências, falta de insumo e falta de pagamento a profissionais, que estão passando dificuldade inclusive para comparecer ao trabalho.

{loadposition tague}

De acordo com ele, a entidade se reuniu na quinta-feira (17) com o ministros da Saúde, Marcelo Castro, e ficou acertada uma reunião para o dia 23 de dezembro com representantes das secretarias municipal e estadual de Saúde, do núcleo estadual do ministério e de entidades médicas para definir um plano emergencial para enfrentar a crise.

A presidenta do Conselho Regional de Enfermagem do Estado do Rio de Janeiro (Coren-RJ), Maria Antonieta Tyrrel, informa que a categoria fez assembleia ontem e decidiu pelo estado de greve, “devido à grave situação vivida”. De acordo com ela, os profissionais relataram “situação gravíssima” em pelo menos 28 unidades de saúde, sendo 17 hospitais e 11 Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).

Agência Brasil

{loadposition facebook}

 

COMPARTILHAR