Cresce o número de interessados em comprar a participação na BR Distribuidora

Cresce o número de interessados em comprar a participação na BR Distribuidora
Cresce o número de interessados em comprar a participação na BR Distribuidora

Cresce o número de interessados em comprar a participação na BR Distribuidora

Desde que colocou a empresa a venda, a estatal já identificou mais de 60 potenciais parceiros interessados em adquirir uma participação acionária na BR, maior distribuidora de combustíveis do país e um dos principais ativos do plano de venda de ativos da estatal. Tem gente assim interessada. São investidores estratégicos e financeiros. O processo de venda está sendo feito pelo Citi, o agente financeiro.

Em comunicado enviado ao mercado, a Petrobrás informou sobre o início do envio de prospectos para o processo de venda de participação na BR. A seleção de empresas que receberam o prospecto foi realizada com base em critérios objetivos, em conjunto com a instituição financeira especializada em fusões e aquisições contratada para assessorar o processo de venda.

A expectativa na Petrobrás é que a aquisição possa ser concluída rapidamente. Por outro lado, como o universo de interessados aumentou após a mudança da modelagem de venda permitindo o compartilhamento do controle da empresa, pode ser que o processo seja prolongado. A companhia espera levantar pelo menos R$ 12 bilhões com a venda de uma fatia de 51% na BR Distribuidora. O negócio tem potencial não só pelo mercado de combustível, do qual a empresa é líder com 34,9% de participação, mas pela rede logística da empresa, composta por mais de 8 mil postos, e pela carteira de clientes, que totaliza mais de 10 mil grandes consumidores, com uma receita operacional líquida da ordem de R$ 97 bilhões.

Com a venda da NTS, a Petrobrás alcançou US$ 9,78 bilhões em venda de ativos em 2015 e 2016. O montante equivale a quase 65% da meta de desinvestimentos para o biênio. Desse total, US$ 730 milhões já entraram no caixa da companhia. Entre as operações já divulgadas ao mercado, destacam-se os 49% da Gaspetro (US$ 540 milhões), a Petrobrás Argentina (US$ 892 milhões), a Petrobrás Chile (US$ 464 milhões) e a descoberta do prospecto de Carcará, no pré-sal da Bacia de Santos (US$ 2,5 bilhões).

Petronotícias
{loadposition facebook}

COMPARTILHAR