Compostagem garante reaproveitamento de resíduos da floricultura

Compostagem garante reaproveitamento de resíduos da floricultura
Compostagem garante reaproveitamento de resíduos da floricultura

Compostagem garante reaproveitamento de resíduos da floriculturaNa produção de flores, compostagem pode substituir ou mesmo minimizar a utilização de agroquímicos. (Paulo Filgueiras)

Unidade demonstrativa da Emater-Rio em Nova Friburgo pretende disseminar a tecnologia entre agricultores familiares

A destinação adequada de resíduos é uma preocupação crescente em todos os setores da economia. Para reduzir o impacto desses resíduos sobre o ambiente, o Programa Rio Rural promove a conscientização dos agricultores e a melhoria das práticas agrícolas. Em Nova Friburgo, na Região Serrana, o agricultor Manoel Lage e seu filho Eduardo apostaram, no final do ano passado, numa tecnologia pouco conhecida na localidade Vargem Alta, onde eles vivem, no distrito de São Pedro da Serra.

Até então, todos os resíduos da propriedade eram descartados de maneira irregular, o que acabou estimulando a proliferação de pragas e doenças. Com orientação técnica da Emater-Rio, em parceria com a Embrapa Agrobiologia, a família Lage criou um sistema de compostagem utilizando matéria orgânica da atividade produtiva, como pétalas, caules, raízes e folhas de diferentes variedades, enriquecidos com torta de mamona e calcário, o que melhorou a saúde das plantas. Com investimento próprio de

R$ 20 mil, foi adquirida uma motopicadeira e construída uma estrutura física para abrigar as misturas em suas diferentes fases de decomposição.

O composto orgânico ainda está em fase de experimentação e vem sendo testado, por enquanto, em apenas duas estufas, onde são cultivados o girassol e o lisianthus. Os primeiros resultados da compostagem foram satisfatórios, tanto para o ar, quanto para o solo. Segundo Eduardo Lage, houve uma diminuição de 70% do uso de defensivos químicos na propriedade desde a implantação do sistema. “Com a compostagem, conseguimos eliminar o criadouro de uma mosca que se multiplicava na pilha de resíduos e que atacava a lavoura. Sem esse foco, todas as doze variedades que cultivo estão sendo diretamente beneficiadas”, explicou o floricultor, que pretende expandir a aplicação do composto.

{loadposition tague}

Floricultura sustentável

Maior produtor de flores de corte do estado, o município de Nova Friburgo vem registrando, anualmente, crescimento na área de cultivo, além da diversificação das espécies produzidas e a profissionalização de mão de obra, agregando valor e ampliando a demanda pelos produtos. Na microbacia Vargem Alta, que concentra a produção local de flores de corte, os programas Florescer e Rio Rural vêm incentivando a adoção de práticas sustentáveis no segmento, como a adubação verde, a irrigação por gotejamento e o cultivo protegido, além da recuperação de mata ciliar e outras atividades de conservação ambiental.

Para o técnico em agropecuária da Emater-Rio, Miguel Schuenck Ribeiro, o uso da compostagem traz outras vantagens, como a melhoria na estrutura física do solo (facilitando a infiltração, a retenção e a drenagem de água), o aumento na quantidade de microrganismos benéficos, a diminuição da erosão e a redução da incidência de pragas e doenças nas plantas, além de auxiliar no controle de plantas invasoras. “Os resíduos agrícolas vegetais, que antes voltariam para natureza como lixo, retornam como adubos e condicionadores. Nossa ideia é incentivar cada vez mais a adoção dessa tecnologia sustentável nas localidades de Vargem Alta, Colonial 61 e Stucky”, disse ele, que também é executor do Rio Rural na microbacia.

Paulo Filgueiras

{loadposition facebook}

COMPARTILHAR