Brasil deve receber recorde de estrangeiros no verão

Brasil deve receber recorde de estrangeiros no verãoCasa da Flôr, em São Pedro da Aldeia, é um dos atrativos mais procurados por turistas estrangeiros na Região dos Lagos (Cesar Valente)

O Brasil poderá bater o recorde de visita de turistas estrangeiros neste verão, com a chegada de pelo menos 2,4 milhões de visitantes, segundo estima a Embratur. Ainda segundo a empresa, o número representa um crescimento de 11% em relação ao mesmo período do ano passado – que, de acordo com o Ministério do Turismo, registrou cerca 2,1 milhões de turistas estrangeiros.
Além da promoção do País durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos, e a desvalorização da moeda nacional ante o dólar, para o presidente da Embratur, Vinicius Lummertz, o Turismo também se beneficiou de uma maior integração aérea com vizinhos da América do Sul, com a consolidação das companhias locais com as internacionais Avianca e Latam.

“O Brasil está no imaginário das pessoas ao redor do mundo com o belíssimo espetáculo que apresentamos na Rio 2016. Nossa hospitalidade surpreendeu 98% dos visitantes dos Jogos e agora não seria diferente. A Embratur está explorando esse momento, que é impulsionado pelo câmbio favorável, para reforçar o convite a potenciais turistas e batermos novo recorde de fluxo estrangeiro nesse verão”, explica Lummertz.

Isenção de visto
A Embratur defende que a política de isenção de vistos adotada no período da Olimpíada e Paralimpíada do Rio de Janeiro, entre os meses de junho e setembro, seja estendida. Segundo o instituto, a experiência já representou um aumento de aproximadamente 55% no número de estrangeiros dos países beneficiados – Estados Unidos, Canadá, Austrália e Japão – em relação ao mesmo período de 2015.

O posicionamento favorável do governo, antes do verão, poderia também contribuir para o crescimento de visitantes internacionais. “Cálculos do MTur mostram que, caso a isenção seja permanente, o impacto na economia nacional alcançará US$ 175,2 milhões ao ano. Além disso, podemos analisar o caso da Argentina, que optou pela dispensa de vistos para norte-americanos em dezembro de 2015 e registrou aumento de 10% somente nos três primeiros meses do ano”, enfatizou Lummertz.

Tanto o ministro Marx Beltrão quanto Lummertz já levaram a ideia de retomada da isenção para debate com o Ministério das Relações Exteriores e com a Casa Civil. Se a medida for aprovada pelo Governo, a tendência é que o novo período de isenção se estenda por dois anos.

Panrotas
{loadposition facebook}

COMPARTILHAR