Após feito inédito, Igor Amorelli mira o Ironman no Havaí

 

 

Primeiro atleta do Brasil a baixar a marca de 8 horas em uma prova de Ironman, triatleta brasileiro tem principal objetivo do ano no Mundial de Kona

Primeiro brasileiro a vencer o Ironman Florianópolis, no ano passado, Igor Amorelli voltou a gravar seu nome na história do esporte. No último final de semana, o triatleta catarinense marcou 7h59min36seg, tornando-se o primeiro atleta do Brasil a completar os 3.8m de natação, 180.2km de bicicleta e 42.1km de corrida abaixo de oito horas. A marca garantiu o quarto lugar na prova e pontos importantes no ranking, que praticamente selaram sua ida para o Mundial de Ironman, em Kona, no Havaí.

“Estou muito contente com o resultado. Foi mais um passo dado na minha carreira. Estou ainda com a adrenalina da prova no corpo, minha vontade é continuar treinando, mas tenho que ter um pouco de calma e respeitar o meu corpo. Vamos analisar agora os próximos passos, mas o objetivo é continuar trabalhando forte para chegar no topo do nível em Kona”, explica Igor, em menção ao Mundial de Ironman, que acontece no mês de outubro.

O feito de Igor o coloca em um rol de atletas muito seleto. Desde que passou a ser disputado, apenas 28 atletas conseguiram completar a distância do Ironman em menos de 8 horas, sendo que no ano de 2015, apenas quatro conseguiram superar a marca, todos em Florianópolis. Amorelli foi o primeiro sul-americano a quebrar a barreira das oito horas.

O ano do catarinense tem sido muito consistente. Campeão do Ironman 70.3 de San Juan, Igor conquistou ainda dois importantes resultados. Melhor brasileiro nas etapas de Latino-Americano, tanto no 70.3, disputado em Brasília, quanto no Ironman de Florianópolis, ambos chegando na quarta posição geral, o triatleta mostra que está no caminho certo, competindo de igual para igual com os melhores do mundo na modalidade.

As competições em solo brasileiro foram as mais fortes da história desde que o circuito Ironman veio para o país. Por ter status de campeonato regional, as provas contaram com pontuação e premiação dobrada, o que atraiu atletas de alto nível para Brasília e Florianópolis. 

Compromissos até o mundial de Kona:

Apesar de não estar com o calendário fechado, Igor Amorelli já tem uma ideia do que vem pela frente. Após o Ironman de Florianópolis o triatleta retorna a Balneário Camboriú para seguir sua preparação e também para planejar os próximos passos rumo ao Havaí.

“Com a pontuação conquistada em Florianópolis a vaga está praticamente garantida, então agora dá para planejar tudo mais certo. Devemos fazer mais umas provas de 70.3, talvez umas quatro, e quem sabe mais um Ironman completo. O foco está todo no Havaí. Queremos chegar lá no melhor da forma para melhorar os resultados dos anos anteriores”, projeta.

 

 

COMPARTILHAR