Aécio pegou uma escada para subir no muro

Aécio pegou uma escada para subir no muro
Aécio pegou uma escada para subir no muro

Aécio pegou uma escada para subir no muro

Disse o senador, presidente do PSDB: “Ao contrário do governo, que tenta um acordo às escuras, a aliança do PSDB com Eduardo Cunha é feita na luz do dia. Mas na votação do seu pedido de cassação no Conselho de Ética, o PSDB vai votar de acordo com as provas”.

Ou seja, o senador só jogaria para ganhar, pois o que lhe interessaria seria que o deputado Eduardo Cunha fizesse prosperar um pedido de impeachment da presidenta enquanto for presidente da Câmara. Isso foi percebido pelo senador Cássio Cunha, líder do PSDB no Senado, que reclamou dizendo que “o PSDB da Câmara está errando, que pecou pela lentidão e que o partido não pode ter uma “ética seletiva”, numa referência ao fato de defender o impeachment da presidenta Dilma e ter uma postura mais amena quanto a Eduardo Cunha, que já é alvo de processo protocolado no Conselho de Ética da Câmara.

Aécio minimizou as divergências entre Cássio Cunha Lima, que busca uma reunião da Executiva nacional, e a posição da bancada da Câmara, liderada pelo deputado Carlos Sampaio, que busca um entendimento com Cunha para o encaminhamento do impeachment.

Por sua vacilação, o senador Aécio Neves, talvez deva ler a carta que Abraham Lincoln escreveu para o professor de seu filho. Nela encontrará conforto para o que está parecendo o atormentar bastante: a derrota para Dilma que estaria interpretando como desonrosa, mas que não é.

De toda sorte, essa aparente duplicidade do senador já bastaria para mostrar para o Brasil que, talvez, o PSDB, o PMDB ou qualquer outro partido, comecem a procurar uma alternativa para uma candidatura de Aécio em 2018.

{loadposition tague}

Carta de Abraham Lincoln para o professor do seu filho: “Caro professor: ele terá de aprender que nem todos os homens são justos, nem todos são verdadeiros, mas por favor diga-lhe que, para cada vilão há um herói, que para cada egoísta, há também um líder dedicado, ensine-lhe por favor que para cada inimigo haverá também um amigo, ensine-lhe que mais vale uma moeda ganha que uma moeda encontrada, ensine-o a perder, mas também a saber gozar da vitória, afaste-o da inveja e dê-lhe …a conhecer a alegria profunda do sorriso silencioso, faça-o maravilhar-se com os livros, mas deixe-o também perder-se com os pássaros no céu, as flores no campo, os montes e os vales. Nas brincadeiras com os amigos, explique-lhe que a derrota honrosa vale mais que a vitória vergonhosa, ensine-o a acreditar em si, mesmo se sozinho contra todos. Ensine-o a ser gentil com os gentis e duro com os duros, ensine-o a nunca entrar no comboio simplesmente porque os outros também entraram. Ensine-o a ouvir todos, mas, na hora da verdade, a decidir sozinho, ensine-o a rir quando estiver triste e explique-lhe que por vezes os homens também choram. Ensine-o a ignorar as multidões que reclamam sangue e a lutar só contra todos, se ele achar que tem razão. Trate-o bem, mas não o mime, pois só o teste do fogo faz o verdadeiro aço, deixe-o ter a coragem de ser impaciente e a paciência de ser corajoso. Transmita-lhe uma fé sublime no Criador e fé também em si, pois só assim poderá ter fé nos homens. Eu sei que estou pedindo muito, mas veja o que pode fazer, caro professor”.

Talvez Tancredo Neves tenha dito palavras como essas ao seu neto predileto, mas se as deu Aécio terá que descer do muro, jogar a escada fora e preparar-se para presidir este grande País.

Ernesto Lindgren
CIDADE ONLINE
16/10/2015

{loadposition facebook}

COMPARTILHAR