A proposta indecente do governo

Vender debêntures para investidores nacionais e estrangeiros para construção de portos, areportos e rodovias. Se um operador der calote o comprador fica com o prejuízo.

75% das famílias brasileiras estão com a corda no pescoço. Devem dinheiro a alguém e não conseguem pagar. Em números absolutos são os tais 57,2 milhões que estão inadimplentes como anunciou o Serasa. Somando as quatro milhões de empresas à beira da falência, os dois grupos devem R$91 bilhões. Mesmo sabendo disso o governo do PT teve a desfaçatez de fazer uma proposta indecente: o dinheiro para a construção da infraestrutura de portos, aeroportos e rodovias viria da venda de debêntures.

Parece até piada, mas a proposta está sendo divulgada pelo Ministério da Fazenda e pelo Banco Mundial através uma nota que diz “De acordo com o Ministério da Fazenda, o instrumento criará oportunidades para investidores, operadores e construtores nacionais e internacionais. A estrutura de pagamento da debênture não foi detalhada, mas os investidores que comprarem os papéis receberão juros atrelados ao rendimento do projeto, durante a construção e a exploração do empreendimento. Além disso, os títulos terão garantias de alta qualidade. Caso os responsáveis pelo projeto de infraestrutura deem calote em quem comprar os papéis, os credores poderão, no limite, tornar-se donos do empreendimento”.

{loadposition tague}

A proposta é indecente porque se 57,2 milhões de brasileiros já estão inadimplentes, não podendo pagar o que devem, como contas de água, luz e tantas outras necessidades básicas para a manutenção e continuação da vida, de onde irão tirar dinheiro para investir na construção de um aeroporto do qual poderá se tornar proprietário se o responsável pelo projeto der calote no pagamento da debênture? É óbvio que se o aeroporto não der lucro enquanto estiver nas mãos do responsável, quem garante que dará se o comprador da debênture se tornar dono do aeroporto?

A população foi assaltada pela maneira criminosa como os governos do PT gastaram o dinheiro que recebeu. Grande parte foi roubada e foi parar nos bolsos desses vagabundos que se atrelaram ao partido motivados pela certeza de que, de alguma forma, iriam se beneficiar da gastança e da roubalheira.

Essa Senhora que no momento ocupa a presidência da República tem o hábito de se apresentar como alguém que combateu o regime militar, o que é uma falsa afirmação. O que ela fez foi ter participado do planejamento do assalto de uma casa que pertencia ao irmão de uma amante de Ademar de Barros de onde um cofre contendo 2,4 milhões de dólares foi roubado. Era olheira e responsável pela guarda de armamento. E só. Há quem queira “dourar a pílula” afirmando que era “importante para o grupo, o VAL-Palmares, por ter muita informação”. Pura balela. Do que Dona Dilma entende é de planejamento de assalto, conhecimento que usa agora para meter a mão nos bolsos de 204 milhões de brasileiros.

A passagem do PT na História do Brasil tornou-se um episódio que a todos envergonha e, SMJ, a melhor coisa que o Congresso Nacional pode fazer é dizer à Dona Dilma, e o bando de vagabundos que a acompanham, para pegar seu chapéu e ir procurar o que sobrou do dinheiro roubado do Ademar.

Ernesto Lindgren
CIDADE ONLINE
10/10/2015

{loadposition facebook}

COMPARTILHAR